Pulse

Charles Manson envia carta com ameaças a Marilyn Manson

Condenado por uma série de assassinatos em 1969, ele enviou uma texto manuscrito

Redação Publicado em 21/09/2012, às 15h23 - Atualizado às 19h45

Marilyn Manson

O cantor no Revolver Golden Gods Award Show, em abril de 2012. Em 2010, ele já ostentava um corte semelhante.
AP

O serial killer Charles Manson enviou uma bizarra carta aberta ao roqueiro Marilyn Mason diretamente da cela onde vive condenado à prisão perpétua, na Califórnia, Estados Unidos.

Perfil: Charles Manson, o homem mais perigoso do mundo.

O texto foi revelado pelo site Loudwire e alterna algumas passagens sem sentido com ameaças ao músico, cujo nome é a união de dois ícones dos anos 60: a atriz Marilyn Monroe e Charles Manson, o culpado por uma série de assassinatos em 1969.

Leia abaixo a carta (que não faz muito sentido) na íntegra:

“Para Marilyn Manson,

Eu demorei muito tempo para chegar ao lugar onde eu possa atingir M. Manson. Agora eu tenho uma cartada para dar – você pode ver a minha não lucrativa ATWA [organização criada pelo serial killer em defesa do meio ambiente] e dar a Manson o que ele acha que deve receber por ar, árvores água e você. Ou Manson irá pagar pelo o que ele fez – a música que transformou Manson no Diabo de Abraxas, eu estou certo de que você quer um pouco daquilo que tenho para você. Isso está longe de ser balanceado. Vai além de bom e mau, certo ou errado. O que você não faz é o que eu faço, o que você cantou junto, deixou rolar e afirmou ter me ajudado. Eu não preciso, não preciso nem quero. Golpeado – golpear. Dançarinos fantasmas matam juntos e você simplesmente está no meu túmulo. Corona-coronas-coronae [“corona”, em inglês, pode ser traduzida como a parte superior da cabeça] – você me viu de baixo, com tudo sobre mim. Dois caminhões de lixo, fazendo o mesmo que CMF 000007.

Charles Manson”