Charly Coombes fará primeiro show de disco conceitual sobre o espaço sideral em São Paulo

Radicado há dois anos em São Paulo, o inglês apresenta as canções de Black Moon no domingo, 24, no CCSP

Gabriel Nunes Publicado em 07/07/2016, às 11h06 - Atualizado às 11h07

Charly Coombes
Rayana Macedo

Charly Coombes é um estrangeiro em uma terra estranha. Radicado em São Paulo desde 2014, será na cidade que o inglês apresentará pela primeira vez nos palcos o disco Black Moon (2015) – segundo e mais recente trabalho dele. A performance acontecerá no Centro Cultural São Paulo, no domingo, 24. “Esse álbum é muito importante para mim, e é por isso que eu quero que o show seja igualmente especial”, afirma o músico em entrevista à Rolling Stone Brasil.

Irmão mais novo de Gaz Coombes (que ao longo de dezessete anos comandou o Supergrass), Charly Coombes foi tecladista do 22-20s por mais de uma década e ainda acompanhou a banda do irmão em algumas turnês antes de arriscar os primeiros acordes da carreira solo. Depois da tímida estreia com o disco folk No Shelter (2013), o inglês decidiu que era o momento de experimentar sonoridades novas.

Veja abaixo o clipe de "1961", do disco Black Moon.

“Gravar e produzir Black Moon foi uma experiência bastante desafiadora justamente por ser algo que eu nunca havia tentado antes”, afirma Coombes. “Embora eu tivesse a maior parte das músicas prontas na minha cabeça, eu precisei sentar e colocar um norte nos meus pensamentos, algo do tipo: ‘O que eu quero fazer? E como posso fazer?’”

Aficionado por astronomia e fã de filmes de ficção científica como 2001: Uma Odisseia no Espaço e Star Trek, o inglês compôs as dez faixas do sucessor de No Shelter como se fosse a trilha sonora de uma viagem espacial psicodélica. Mas, segundo o cantor e compositor, essa jornada rumo ao insondável e desconhecido também pode ser entendida como uma espécie de metáfora ao próprio exílio voluntário na caótica capital paulista. “Estar longe dos meus amigos e da minha família tem funcionado como uma espécie de espelho de mim mesmo”, declara o músico. “Eu sempre escrevi de maneira autobiográfica, então falar sobre uma jornada assustadora no espaço é quase o mesmo que estar falando sobre minha própria experiência aqui no Brasil.”

Resultado dos devaneios contemplativos de Charly Coombes sobre o universo, Black Moon será executado na íntegra pela primeira vez no domingo, 24. O músico sobe ao palco do Centro Cultural São Paulo, às 18h, acompanhado por Pedro Pelotas (teclados), da banda gaúcha Cachorro Grande; Clayton Martin (bateria), do grupo Cidadão Instigado; Rodrigo Del Toro (baixo).

Charly Coombes apresenta Black Moon

24 de julho, às 18h

Centro Cultural São Paulo – Rua Vergueiro, 100 – São Paulo

Ingressos: R$ 20