China nega intensificação de censura

Autoridade afirma que Björk foi "caso isolado"

Da redação Publicado em 16/03/2008, às 11h21

Agora, China declara que Björk foi "caso isolado"; na semana passada, "iria se prevenir contra casos semelhantes no futuro"
Fernanda Soares/(Still)

O governo chinês desmentiu as afirmações de que seu país iria controlar as apresentações de artistas estrangeiros. O Ministério declarou em seu site, na semana passada, que iria intensificar a fiscalização sobre artistas de outros países, depois de Björk ter gritado "Tibet!" ao final da música "Declare Independence" em um show em Xangai. Saiba mais.

O vice-ministro da cultura chinês, Zhou Heping, voltou atrás. "Foi apenas um caso isolado. Eu não acho que irá afetar convites a artistas para vir à China, principalmente durante os Jogos Olímpicos."

O Ministério chegou a declarar que Björk havia "quebrado a lei chinesa e ferido os sentimentos do povo".

As Olimpíadas da China começam em agosto.