Chris Brown é condenado a mil horas de trabalho comunitário

Liberdade condicional do cantor foi reinstaurada após uma série de violações da lei

Redação Publicado em 17/08/2013, às 13h57 - Atualizado às 18h42

Chris Brown
AP

Um dia depois que o juiz de Los Angeles recusou a acusação de atropelamento e fuga contra Chris Brown, um outro magistrado reestabeleceu a liberdade condicional do músico e o sentenciou a 1 mil horas de trabalho comunitário. As informações são da agência Associated Press.

Dois lados: artistas que são tão (ou mais) odiados quanto amados, como Chris Brown.

A liberdade condicional de Brown havia sido revogada depois do acidente e da acusação de atropelamento. Os procuradores já haviam tentando rescindir a condicional, argumentando que uma série de quebras da lei violaram os termos da sentença recebida por ele em 2009, após ter agredido a então namorada Rihanna.

Uma gigante incansável do pop ou a garota-propaganda das más escolhas? Rihanna não quer que você se preocupe com ela.

O serviço comunitário prestado por Brown anteriormente não irão contar nesta nova acusação, já que o juiz da corte superior James Brandlin afirma que o cantor precisa fazê-lo em um dos quatro programas da Califórnia, que incluem limpeza de estradas, praias, remoção de pichações, ou outro trabalho dedignado pelo departamento de condicionais.

As 15 prisões mais estúpidas do mundo da música.

O cantor de 24 anos não falou durante a audiência em que o advogado dele Mark Geragos e procurador tentavam trabalhar em um acordo, cujo resultado foi a retirada do pedido de rescisão da liberdade condicional.

O novo disco do músico, X, será lançado em 27 de agosto. O cantor, que sofreu um ataque de estresse na semana passada, afirmou que este será o último álbum dele.