Chris Brown é processado em R$ 108 milhões por suspeita de drogar e estuprar mulher; entenda

Rapper Chris Brown foi acusado de drogar e estuprar uma mulher em uma iate em Miami, Flórida

Althea Legaspi | Rolling Stone EUA. Tradução: Mariana Rodrigues Publicado em 28/01/2022, às 15h02

None
Chris Brown (Foto: Earl Gibson III/Getty Images for BET)

Chris Brown está sendo processado por supostamente drogar e estuprar uma mulher em um iate ancorado na casa de Diddy em Star Island, em Miami, Flórida, de acordo com um processo obtido pela Rolling Stone EUA.

De acordo com a denúncia, uma coreógrafa profissional, dançarina, modelo e artista musical identificada como “Jane Doe” e um amigo não identificado foram convidados para o iate em 30 de dezembro por um amigo, que ligou para Doe enquanto ela estava visitando Miami. A denúncia diz que, durante a ligação, Brown pegou o telefone e disse a Doe que “ele tinha ouvido falar da música dela e pediu que ela fosse para a casa de Diddy em Star Island o mais rápido possível.”

+++ LEIA MAIS: 50 Cent diz que "Chris Brown é melhor que Michael Jackson"

Doe foi ao iate e, de acordo com o processo, Brown ofereceu-lhe uma bebida na cozinha, dando-lhe um copo contendo uma mistura de bebidas. Eles então discutiram a carreira musical e “Brown ofereceu dicas sobre como iniciar uma carreira na indústria da música.” Brown, supostamente, encheu o copo de Doe pela segunda vez, após o qual Doe ficou “desorientada, fisicamente instável e começou a dormir e acordar,” afirma a queixa.

O processo afirma que Doe foi conduzida por um corredor até um quarto, onde Brown fechou a porta e impediu suas tentativas de sair. De acordo com a denúncia, ele então a despiu e a estuprou, com Brown ejaculando dentro dela e anunciando que “ele tinha acabado.” No dia seguinte, Brown exigiu que Doe tomasse o anticoncepcional de emergência “Plano B,” alega o processo.

+++ LEIA MAIS: Eminem responde por rima a favor da violência de Chris Brown contra Rihanna: 'Gravado há 10 anos'

Um representante de Brown não respondeu imediatamente ao pedido de comentário da Rolling Stone, embora o próprio rapper abordou o processo no Instagram. “Espero que todos vejam esse padrão,” escreveu nos stories. “Sempre que estou lançando música ou projetos, 'ELES' tentam puxar alguma besteira real.”

O advogado de Doe,Ariel E. Mitchell, cuja Vrabeck Adams & Company trabalha com vítimas de discriminação ou abuso, disse em comunicado à Rolling Stone EUA: “Meu parceiro [George Vrabeck] e eu queremos garantir que todas as partes sejam responsabilizadas para que possamos começar a erradicar esse comportamento de nossa sociedade.”

+++ LEIA MAIS: Em entrevista que ressurgiu, Rihanna revela que sempre amará Chris Brown e que se tornaram amigos após agressão

O processo de Doe pede US$ 20 milhões (R$ 108 milhões) em danos, além de danos punitivos e honorários advocatícios.

Brown enfrentou inúmeras acusações de violência, especialmente contra as mulheres, no passado. Mais notoriamente, ele se declarou culpado de uma acusação de agressão doméstica por espancar a então namorada, Rihanna, em 2009. Em 2017, a ex-namorada Karrueche Tran ganhou uma ordem de restrição contra Brown depois de alegar que ele a socou no estômago duas vezes e a empurrou das escadas. Ele também enfrentou uma acusação de estupro em Paris em 2019, enquanto em junho passado supostamente agrediu uma mulher durante uma discussão, mas nenhuma acusação foi apresentada devido a “provas insuficientes.”