Chris Cornell quebrou cinco microfones nas gravações de Superunknown

Michael Beinhorn, produtor do disco, contou em entrevista algumas peculiaridades sobre as sessões no estúdio

Redação Publicado em 26/04/2019, às 12h32

None
Chris Cornell (Foto:Aaron Gilbert/MediaPunch/IPX)

Em entrevista ao programa de YouTubeProduce Like A Pro, Michael Beinhorn, produtor que trabalhou com o Soundgarden no disco Superunknown (1994), revelou detalhes impressionantes e peculiares sobre a produção do 4º álbum da banda.

+++ SOLTA O RIFF! Rolling Stone Brasil vai premiar o melhor riff do Instagram com prêmios exclusivos; participe!

Que a voz do Chris Cornell era potente, todo mundo sabe (ou, se não sabe, é só ouvir qualquer uma de suas músicas), mas segundo Beinhorn, a voz do cantor era tão forte e intensa, que chegou a queimar alguns microfones durante a gravação.

Segundo ele, foi necessário testar várias configurações para que desse certo e, eventualmente, decidiram que, estranhamente, a melhor opção era deixá-lo gravar sozinho na sala de controle do estúdio "sem fones de ouvido e com os amplificadores em fase invertida".

Pelo que se lembra, Cornell se sentia mais a vontade assim, pois não dava a impressão de ser "um ser excepcional". E o resultado disso: "Chris conseguiu fritar 5 microfones Neumann U 87. Sim, cinco microfones foram destruídos durante a criação desse disco”

E foi com essa configuração bizarra que foram gravadas todas as faixas vocais do álbum Superunknown.

Veja a entrevista completa com o produtor abaixo.

+++ Mano Brown, Parangolé e Arctic Monkeys: Rincon Sapiência escolhe os melhores de todos os tempos em 1 minuto