Pulse

Com pop dançante, Chromeo abre o festival Converse Rubber Tracks Live Brasil e faz show de peso

Duo canadense mostrou as faixas do recém-lançado White Women

Luciana Rabassallo Publicado em 31/07/2014, às 10h17 - Atualizado em 01/08/2014, às 09h55

Chromeo abre o festival Converse Rubber Tracks Live Brasil com show de peso
André Aloi

Os canadenses do Chromeo, a dupla norte-americana do Classixx, o grupo brasileiro Schoolbell e o duo experimental Godasadog foram as atrações do festival gratuito Converse Rubber Tracks Live Brasil, que começou nesta quarta-feira, 30, no Cine Joia, em São Paulo, e se estende até o domingo, 3. Com objetivo de trazer ao país atrações consagradas do cenário internacional e promover as bandas locais, o evento reuniu os amantes da música eletrônica - em noite dedicada ao gênero - e reforçou o crescimento da cena na capital paulista.

As 15 coisas que fizeram com que Skrillex mudasse o mundo da música.

Escolhidos para abrir o festival, a dupla Victor Meira e Matschulat, do Godasadog, mostrou faixas do álbum Hoje, lançado em 2013. Na sequência, foi a vez do trio Schoolbell, um dos maiores destaques da nova safra da música eletrônica nacional, composto pelo baixista Alexandre Molinari (ex-The Name), o produtor Eduardo Ramos e a vocalista Camila Sato, apresentar composições de EP1 (2012) e as vindouras canções de Spin Me, EP com quatro faixas que será lançado no formato vinil no mês de agosto.

Relembre como foi o festival Sónar SP.

Os queridinhos do Classixx, destaque mundial do indie dançante, agradaram o público na primeira passagem deles pelo Brasil. Michael David e Tyler Blake ganharam notoriedade ao conseguirem evocar muito da sonoridade do disco Hanging Gardens (2013), a partir do nome do duo: Classixx. O álbum de estreia é focado inteiramente na relação entre a música eletrônica dançante e o pop produzido na década de 1980. O ponto alto da noite foi o hit "All You’re Waiting For", uma colaboração com Nancy Whang (ex-LCD Soundsystem), que melhor representa as veias oitentistas dos californianos.

Chromeo, a grande estrela da noite:

Na terceira visita ao Brasil, o duo canadense Chromeo trouxe na bagagem o recém-lançado White Women, quarto álbum de estúdio de P-Thugg (Patrick Gemayel) e Dave 1 (David Macklovitch). Sucesso de público e crítica, o disco é considerado o melhor trabalho da dupla - até agora. Os sinterizadores e os grooves cheios de balanço de faixas como "Jealous (I ain't with it)", "Sexy Socialite" e "Come Alive", uma parceria com Toro Y Moi, fizeram o público dançar e comprovaram que o conteúdo de White Women é extremamente comercial - mas, em momento algum, deixa a qualidade e o experimentalismo de lado.

Relembre como foi show do Chromeo no festival Sónar SP.

"Boa noite São Paulo, é um prazer estar aqui novamente", disse o carismático Dave 1 - entre uma faixa e outra - enquanto P-Thugg brincava com os efeitos de voz do microfone dele e pedia ao público para que gritasse mais alto. Além das novas composições, o duo também executou faixas consagradas como “Fancy Footwork" e "Tenderoni", ambas do disco Fancy Footwork (2007). "Nós nos sentimos em casa quando estamos no país de vocês, obrigada pela hospitalidade", disse Dave 1 antes de deixar o palco.

"MC Guimê é incrível"

Antes da apresentação, o Chromeo recebeu a reportagem do site da revista Rolling Stone Brasil para uma conversa sobre o álbum White Women e amor do duo pelo Brasil. Com um invejável bom humor, Macklovitch e Gemayel explicaram a fórmula para o sucesso instantâneo do novo disco: "Trabalho duro". "Nos mudamos para a mesma cidade e ficamos trancados no estúdio. Quase nos matamos, mas acho que o resultado ficou incrível", completou Dave 1.

"A ideia de White Women é mostrar aos fãs e aos críticos da imprensa especializada que, mesmo sem uma banda de apoio, somos capazes de fazer um disco orgânico e mais profundo do que os anteriores", explicou, antes de acrescentar orgulhoso: "Acho que conseguimos!". "O álbum estreou em primeiro lugar na loja virtual iTunes e também está entre os mais ouvidos nos serviços de streaming pagos. É a prova de que, desta vez, temos um trabalho coeso, com identidade e, ao mesmo tempo, extremamente mainstream."

Dave também aproveitou o momento para mandar um recado aos fãs da América do Sul, em especial aos brasileiros: "Voltaremos em breve com a turnê de White Women. Estamos ansiosos para mostrar o disco no Brasil e também em países sul-americanos, como o Chile e Argentina". Arriscando um português carregado de sotaque, o músico afirmou que ama o Brasil e troca mensagens com os fãs o tempo todo no Twitter: "Eles são incríveis. Eu praticamente falo português".

Os elogios, contudo, não ficaram apenas para os internautas amantes da música do duo. Dave falou com empolgação sobre alguns nomes da música nacional que estão em seu iPod. "Eu adoro o MC Guimê! Todas as vezes em que vejo o clipe daquela música que tem participação do Neymar ["País do Futebol", parceria do funkeiro com o rapper Emicida], eu choro muito", contou. "Eu adoro também o MC Rodolfinho e as batidas do "funk proibidão", apesar de eu não entender nada do que eles falam nas letras." "O conteúdo é sexual, não é?", questiona com um sorriso cínico.

Falando sobre a música eletrônica produzida no Brasil, Dave afirma a cena está em plena atividade criativa: "Os caras do Tropkillaz [duo formado pelos produtores Zegon e Laudz] são demais. Eles estão fazendo muito sucesso nos Estados Unidos. O som deles é incrível". "Também adoro as batidas do tecnobrega. Quando nós nos apresentamos no festival Sónar [que aconteceu em São Paulo, no ano de 2012] eu vi o show da Gang do Eletro e adorei. Depois disso, descobri nomes como Gaby Amarantos e Banda Uó. As batidas são sempre contagiantes", finalizou.

Veja a programação do festival Converse Rubber Tracks Live Brasil:

31 de julho

Brand New, Minus the Bear, Vespas Mandarinas e Coyotes

1º de agosto

Busta Rhymes, Chet Faker, Don L e Nego E

2 de agosto

Dinosaur Jr., F*cked Up, Single Parents e Churrasco Elétrico

3 de Agosto

Clutch, The Sword, DLC e Marguerbes