Cineasta Eduardo Coutinho é assassinado no Rio

A suspeita é de que ele tenha sido morto pelo próprio filho; Coutinho assinou documentários como Edifício Máster e Jogo de Cena

Redação Publicado em 02/02/2014, às 16h58 - Atualizado às 18h46

Aline Arruda/Divulgação

Eduardo Coutinho, cineasta de 81 anos responsável por obras como Edifício Máster e Jogo de Cena, foi morto a facadas no Rio de Janeiro, segundo o jornal Folha de S. Paulo. De acordo com o veículo, ele foi encontrado em casa, às 11h50, no bairro da Lagoa, zona sul do Rio. Ainda segundo o jornal, o principal suspeito do crime é o filho dele, Daniel Coutinho.

A Divisão de Homicídios da polícia do Rio, que investiga o caso, informou que Daniel também seria o responsável por esfaquear a mãe, Maria das Dores Coutinho, 62 anos, que levou dois golpes na mama, três no abdômen e teve uma lesão no fígado. Em seguida, ele teria tentado se matar. A mãe está em estado grave, passou por cirurgia e sendo tratada no hospital Miguel Couto no Leblon. O corpo de Eduardo está no Instituto Médico Legal do Rio. O filho dele, que sofre de esquizofrenia, segundo vizinhos, está no mesmo hospital que a mãe sendo tratado por duas lesões causadas pelas facadas.

Coutinho é conhecido como um dos maiores documentaristas do Brasil. O trabalho dele mais recente é As Canções, de 2011. Ele chegou a receber um Kikito de Cristal, principal premiação do cinema nacional, pelo conjunto da obra. Alguns dos outros trabalhos dele são Babilônia 2000 e Cabra Marcado Para Morrer.

Em junho de 2013, Coutinho e José Padilha foram convidados a fazer parte da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, organização responsável por entregar o Oscar.

Nascido em São Paulo, Coutinho trabalhou como revisor na revista Visão, dirigiu peça infantil e se especializou em roteiro. Em 1975, entrou para a equipe do programa de TV Globo Repórter, onde trabalhou até 1984.

Em 1984, lançou o sucesso Cabra Marcado Para Morrer. A partir daí, passou a se dedicar mais a documentários, investindo em temas ligados à cidadania e educação, como Santa Marta - Duas Semanas no Morro (1987) e Boca de Lixo (1993).