Cinema no fim de semana para todos os gostos: estreiam Mentes Sombrias, O Protetor 2 e Christopher Robin – Um Reencontro Inesquecível

Distopia futurista, drama de ação e live action do Ursinho Pooh fazem parte do cardápio

Paulo Cavalcanti Publicado em 17/08/2018, às 14h54 - Atualizado às 15h02

Christopher Robin

Ver Galeria
(5 imagens)

O calendário de estreias desta semana traz vários lançamentos bastante interessantes. Alguns dos principais filmes que chegaram às telas a partir da última quinta, 16, são a distopia futurista Mentes Sombrias, o drama de ação O Protetor 2 e Christopher Robin – Um Reencontro Inesquecível, que é um live action estrelado pelos personagens do universo do Ursinho Pooh.

Mentes Sombrias é a aguardada adaptação cinematográfica do livro da escritora Alexandra Bracken. A produção da Fox dirigida por Jennifer Yuh Nelson é uma ficção científica distópica teen em que crianças e adolescentes são atacadas por uma inexplicável doença incurável. Alguns deles morrem e outros adquirem poderes físicos e mentais. Os jovens são considerados uma ameaça à sociedade pelo governo e acabam internados em campos de detenção e trabalhos forçados. Aos 16 anos, Ruby (a convincente Amandla Stenberg), mesmo sem saber, é considerada a mais poderosa de todas e, assim, é marcada para ser executada. Ela escapa e depois de se conectar com outros jovens na mesma situação procura proteção junto a eles. No meio de muitas idas e vindas, os garotos decidem unir seus poderes para lutar contra seus captores adultos.

O afiado elenco juvenil, a boa produção e atmosfera sombria são os pontos altos do filme. Mas a execução de Mentes Sombrias é um tanto previsível e alguns clichês arrastam a narrativa. Apesar disto, os inúmeros fãs da saga vão querer saber como os personagens ficaram na tela grande.

Em O Protetor 2, Denzel Washington retorna como Robert McCall, o ex-oficial do exército e agente especial do governo que, depois de sido dado como morto, adquire uma nova identidade e tenta viver anonimamente como um motorista de táxi apaixonado por literatura. Isso até quando ele resolve, por conta própria, defender oprimidos e indefesos. Nesta sequência do filme de sucesso de 2014, o justiceiro precisa se meter em algo “oficial”. Susan Plummer (Melissa Leo), antiga chefe e mentora dele, é assassinada na Bélgica. Logo ele desconfia de que muita gente importante está envolvida no crime e que a morte dela oculta objetivos poucos nobres. A poderosa presença de Washington ilumina a tela e ele é ajudado por um elenco distinto que inclui também Bill Pullman e Pedro Pascal. O diretor Antoine Fuqua joga com seu estilo elegante e dá fluidez ao filme. O clímax, em que McCall enfrenta seus inimigos em meio a um nevoeiro, é simplesmente arrebatador.

Na década de 1960, o estúdio Disney comprou os direitos de Ursinho Pooh, que o inglês A.A. Milne escreveu na década de 1920. Em 1966, foi produzida uma animação que fez um enorme sucesso junto ao público infantil e a critica especializada. Ao longo dos anos, o estúdio produziu outros especiais dando enfoque ao personagem. Agora, chega Christopher Robin – Um Reencontro Inesquecível, um dos filmes mais encantadores dos últimos tempos, dando um novo fôlego a Pooh e à turminha dos Cem Acres. Desta vez, seguindo o que a Disney vem fazendo nos últimos tempos, o formato não é animação, mas sim um live action.

Christopher Robin, o garoto que vive no mundo de faz de conta e tem como melhores amigos Pooh, Leitão, Bisonho, Can, Tigrão e outros, está crescendo. Chega a hora de deixar a idílica casa de campo onde vive, em Sussex, e ir para a cidade grande estudar em um internato. Já adulto (e interpretado por Ewan McGregor), Robin se casa, tem uma filha, luta na Segunda Guerra Mundial e só pensa em trabalho, negligenciando a família, assim como fez com os atrapalhados amigos imaginários décadas atrás. Mas lá no campo, Pooh, resolve partir em uma peregrinação até Londres para saber o que aconteceu com o amigo humano.

De forma envolvente, o diretor Marc Forster fala diretamente com a criança interior que ainda temos, sufocada por obrigações, contas a pagar, trabalho, saúde declinante e envelhecimento. O filme é um convite a relembrar tudo que deixamos para trás quando chegamos aos 11 ou 12 anos de idade. Todos os personagens da turma de Pooh têm alguma característica especial, um comportamento único e, juntos, os bichinhos completam a essência de Robin – e ele sabe disso. Divertido, muito bem escrito e capaz de emocionar até os mais durões, Christopher Robin – Um Reencontro Inesquecível é pura magia e tão doce quanto o mel que Pooh tanto aprecia.