Claudia Leitte quer ver a união do Carnaval no dia a dia do brasileiro

Cantora lançou a nova Balancinho, sua aposta como hit para 2019

Baárbara Martinez Publicado em 07/11/2018, às 15h00

None
Claudia Leitte lança a música Balancinho (Crédito: Ariel Martini/Divulgação)

Cantora, empresária, figura sempre presente no Carnaval e mãe de dois meninos: são muitas Claudias em uma Claudia Leitte. São muitas versões dela também no clipe de "Balancinho", a nova música lançada pela artista, nesta quarta-feira, 7 – e sua aposta de "hit do carnaval 2019".

Assista ao vídeo de "Balancinho" no player ao final do texto ou aqui.

"Tem um pouco de todo os meus jeitos, ora singela, ora divertida, porém forte e determinada", revela a artista, em entrevista à Rolling Stone Brasil, sobre a canção.

Ser vista como como exemplo de mulher contemporânea, contudo, não perde o sono com isso. “A minha relação com os meus filhos, a pessoa que eu sou, isso nunca esteve em questão, isso nunca foi uma área para me avaliar”, ela diz.

Claudia Leitte segue: Eu não me sinto cobrada, julgada, condenada ou absolvida por ninguém”.

Duas Claudias, no mínimo

Mãe de Rafael e Davi, a cantora revela que, para manter o equilíbrio entre a vida materna e a rotina agitada como artista, não tem vergonha de pedir ajuda para os familiares.

“Conto muito com a minha mãe, com a minha sogra, com a minha família, meu marido, que é um super pai. Peço ajuda sempre que não consigo, e eu consigo vencer, tenho consciência disso.”

Presença muito aguardada nos carnavais, desde a época em que era vocalista do grupo Babado Novo, a artista acredita que a festa tem o poder de unir o país, mesmo num momento no qual a política brasileira tem criado tanta cisão e discussão.

“Quando eu vejo lá de cima do trio elétrico a multidão, eu vejo uma massa homogênea e que ali naquele espaço com mais de um milhão de pessoas, tem gente de todas as classes sociais, todo mundo misturado convivendo no mesmo espaço, dividindo tudo e compartilhando até a mesma respiração.”

"Se a gente consegue dividir isso no meio de uma festa, com tanta gente, com um calor. Às
vezes não tem banheiro e está todo mundo feliz se encontrando. Então acho que podemos
fazer isso no dia a dia da gente", ela diz.

Ela segue: “O Carnaval tem o lugar do Carnaval, como a saúde tem o lugar da saúde, a educação tem o lugar da educação. Temos que encontrar o balancinho”.

Otimista declarada, Claudia destaca que indiferente de qualquer dificuldade é preciso continuar seguindo, mesmo que seja com dúvidas e questionamentos. “A vida é assim, tem problemas, tem dificuldades, mas a gente tem que ser feliz, a gente tem que pular o carnaval, precisamos ir adiante, o bloco da gente tem que passar”.

Polêmica, Anitta e camiseta do Pink Floyd

Figura frequente na web e nas redes sociais, a divulgar seus trabalhos ou mesmo mostrar momentos íntimos, a artista recentemente posou com uma foto da banda inglesa Pink Floyd.

Trata-se da antiga banda de Roger Waters, músico que recentemente cruzou o País e fez ataques ao ex-deputado e presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL).

“Todo artista tem seu lugar de voz, e eu acredito que o microfone é uma arma poderosa, mas existem outras maneiras de se manifestar. É a opinião dele, como ele acredita, no desejo dele de mudança, onde ele vê um mundo melhor, cada um faz suas escolhas.”

No primeiro turno das eleições presidenciais, ela foi desafiada por Anitta para aderir ao movimento #EleNão, que foi contra a candidatura de Bolsonaro, mas preferiu não levantar nenhuma bandeira nas redes sociais.

Após o ocorrido, a cantora se manifestou sobre tolerância em um de seus shows em Brasília. “Em primeiro lugar, eu quero dizer que acredito no amor como solução para o ódio, especialmente na falta de diálogo que vem acontecendo nas redes sociais. Como mulher, quero dizer que não tolero misoginia e aqui, junto de vocês, eu vou reiterar que não admito, nem tolero homofobia”, disse ela.

Carreira internacional

Após as recentes investidas em parcerias internacionais, com artistas como Jennifer Lopez, Pitbull e Daddy YankeeClaudia afirma que o caminho para o sucesso fora do país não é um obstáculo impossível.

“Eu não acho que é difícil, tudo é relativo ao tempo, disposição, estar no lugar e na hora certa. É uma questão de que o universo abra uma porta. Uma hora acontece, não tem dificuldade não”.

Ela também revela que o Brasil têm muitas oportunidades para a cultura. “Têm espaço para todos os artistas, muitos shows para fazer, muitos estados e cidades para visitar. É um país muito massa para se trabalhar”.

Sensualidade e bem-estar

Aos 38 anos, Claudia não se importa de exibir o corpo, em clipes ou vídeos caseiros.

”Existem momentos que a música pede um pouco mais de sensualidade e eu me sinto muito à vontade. Eu acho que a mulher em qualquer idade é sensual por natureza e ela tem que se encontrar”, ela diz.

E completa: “Não acredito que por uma imposição do mercado ou do momento me faça aparecer de biquíni, eu me sinto muito livre para dentro da música transitar no campo da sensualidade”.

A artista garante, contudo, que mantém o corpo para seu bem-estar e não pela aparência. “Eu faço academia sempre, não adianta se preparar somente para fazer um clipe, para ficar bonita, eu preciso me preparar para a minha vida”, diz.

“O que as pessoas veem é muito mais pela minha saúde interior, com o meu corpo e minha mente funcionando bem”, afirma.