Clipe do Maroon 5 é criticado por grupo que trata vítimas de violência sexual

“Ato criminoso de perseguição não é romance”, afirmou representante do RAINN

Redação Publicado em 02/10/2014, às 18h17 - Atualizado às 19h32

Clipe de Maroon 5 é criticado por grupo de apoio à vítimas de violência sexual
Reprodução

O novo clipe do grupo Maroon 5 foi considerado “perigoso” e foi acusado de banalizar crimes graves pelo grupo RAINN, que trata vítimas de violência sexual.

Edição 95 – Adam Levine diz que não liga para críticas e comenta o novo disco do Maroon 5.

No vídeo, Adam Levine é um açougueiro obcecado por uma jovem. A atriz em questão é Behati Prinsloo, esposa do músico. Invadir a casa da moça e tirar fotos dela dormindo não chega a ser a maior esquisitice cometida pelo stalker ao longo do clipe: Levine abraça enormes pedaços de carne e se lambuza em sangue antes de protagonizar cenas de sexo com Prinsloo.

Dez assobios de músicas que não desgrudam da cabeça.

"O vídeo do Maroon 5 para ‘Animais’ é uma representação perigosa da fantasia de um perseguidor - e ninguém nunca deve confundir o ato criminoso de perseguição com romance", disse Katherine Fliflet, vice-presidente da RAINN em um comunicado divulgado na quarta-feira, 1º. "A banalização desses crimes graves, como a perseguição, não deve ter lugar na indústria do entretenimento."

Veja o clipe de ‘Animais’ abaixo: