"Fiz amizades que vão viver muito além dos filmes", diz Taylor Lautner

De passagem pelo Rio de Janeiro, ator falou sobre o filme A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte 2

Stella Rodrigues, do Rio de Janeiro Publicado em 24/10/2012, às 11h25 - Atualizado às 15h59

Taylor Lautner acena para os fotógrafos depois de coletiva, no Rio

Ver Galeria
(6 imagens)

Não teve chuva que tirasse o grupo de fãs adolescentes da porta do hotel Fasano, no Rio de Janeiro, desde a noite da última terça, 23. Elas estavam de plantão aguardando a chegada de Taylor Lautner, um dos astros da Saga Crepúsculo, que faz esta semana uma passagem rápida pela cidade para divulgar o último capítulo da lucrativa franquia.

O ator participou de uma entrevista coletiva na manhã desta quarta, 24, na qual refletiu sobre toda a experiência, além do fanatismo pela cinessérie e do personagem que deixa para trás com a estreia de Amanhecer – Parte 2 no próximo dia 15.

“A coisa da qual menos vou sentir falta é de ter que tirar a camisa o tempo todo”, disse o ator entre risos, enquanto fazia um balanço da experiência como um todo, que tomou meia década da vida dele de forma bastante intensa. Por outro lado, garante que sentirá falta das fãs, embora admita que hordas de garotas adolescentes podem ser um pouco assustadoras. “Elas são muito apaixonadas”, define. “Mas eu amei, me diverti muito. Estaria mentindo se dissesse que não me assustei. Não as vejo há 3 anos, então, será bom revê-las”, disse ele, relembrando sua experiência em São Paulo, quando o bando de fãs tentando invadir o hotel do elenco foi manchete até em veículos que nada têm a ver com cinema ou cultura teen. Com temas sobre a vida pessoal barrados da coletiva, Taylor comentou somente sua perspectiva a respeito da reação forte dos fãs a respeito da vida pessoal dos atores (mas nada foi dito a respeito da tão noticiada traição de Kristen Stewart, namorada de Robert Pattinson). “Eu não sei explicar, mas eu amo esportes e eu acabo me interessando pela vida pessoal [dos esportistas] e eu não sei bem por que, é estranho.”

Com apenas 20 anos, Taylor tem agora uma missão difícil: precisa se desprender do papel que o tornou um rosto conhecido no mundo todo. Mas se diz preparado para deixar esse mundo para trás e satisfeito com o que aprendeu com ele. “Nem sei por onde começar a resumir. Tem sido uma experiência incrível, e muito inesperada desde o começo. Nunca imaginei que estaria aqui, no Rio, ultrapassou muito tudo que esperava. A coisa que mais me marcou foram as relações que fiz, com elenco, equipe, amizades que vão viver muito além dos filmes”, diz, e apesar da fala soar como algo tirado do guia de media training de astros teen, ele parece sincero. “Certamente, as coisas de que vou sentir mais falta são das pessoas – porque voltar ao set era sempre como voltar para o acampamento – e interpretar o personagem. Estou nessa há 5 anos, vou sentir falta de Jacob.”

Apesar de a imprensa ter noticiado a possibilidade de um spin-off, sobre o qual ele diz não saber a respeito, a estreia de A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte 2 encerra também um capítulo da vida de fãs que acompanharam desde o lançamento do primeiro livro de Stephenie Meyer todo o crescimento da onda vampiresca, e dá um desfecho para os personagens. Desfecho este desconhecido por todos, já que o filme trará um final diferente daquele contido no livro. “Eu amo o quarto livro”, conta Taylor. “É muito diferente dos outros, para mim foi um choque lê-lo. Não posso contar muito, mas o diretor encerra a franquia perfeitamente, fez um ótimo trabalho”, garante. Contudo, mesmo estando em um lugar ímpar para analisar o sucesso das obras, o próprio ator não sabe explicar o que de tão especial tem na história para gerar tamanho fanatismo. “A primeira coisa que chutaria é que são os personagens, pessoas de qualquer idade se identificam com pelo menos um personagem, e o que eles estão passando. A maior parte do crédito é da autora. Ela os criou, nosso trabalho é somente dar vida a eles. É uma história que as pessoas veriam mesmo que não fosse com um vampiro e um lobisomem. O elemento sobrenatural aumenta isso, deixa mais legal.” O sobrenatural, contudo, não faz parte dos planos futuros do astro, que a este ponto deverá fugir disso para não ser lembrado para sempre como o menino-lobo.

Taylor não tem autorização para contar muito sobre o novo filme, mas descreveu sua cena favorita. “É quando Bella descobre que Jacob fez imprinting na filha dela e mostra quem é que manda. Foi engraçado apanhar de Kristen [Stewart]. A cena foi divertida de filmar, mas foi difícil, muito física. As dramáticas são mais difíceis. Não tive muita atenção nos dois últimos filmes, quando meu personagem tinha alguma cena de ação, ele virava lobo, e aí não sou eu, infelizmente.”

Quando questionado sobre características de Jacob que gostaria de incorporar, Taylor diz que admira a lealdade dele. “Tem a ver com a coisa do lobo e do cachorro, acredito. Isso significa muito para mim. Acho que é uma das coisas que tornam Jacob tão querido.”

Assista abaixo ao trailer de Amanhecer - Parte 2: