Com hits dos anos 80, Blitz comanda festa regada a música e suor na segunda edição da Rolling Stone Music & Run em SP

Evento realizado pela Rolling Stone Brasil reuniu cerca de 6 mil atletas e ainda contou com o repertório de rock clássico da banda Warriors

Redação Publicado em 02/11/2014, às 03h29 - Atualizado em 08/12/2014, às 17h34

A Blitz subiu ao palco e mostrou que consegue animar até um público exausto, após uma prova difícil

Ver Galeria
(37 imagens)

No último sábado, 1º de novembro, foi realizada a segunda edição da Rolling Stone Music & Run, nas proximidades do Memorial da América Latina, na Barra Funda, em São Paulo. O evento, organizado pela Rolling Stone Brasil, reuniu cerca de 6 mil atletas – que puderam optar por percursos de 5km ou 10km –, que praticaram a corrida de rua ao som de rock e, ainda, desfrutaram de apresentações exclusivas de Blitz e Warriors.

Segunda edição do Rolling Stone Music & Run reúne 6 mil pessoas e celebra 30 anos da Blitz com show exclusivo.

Warriors dá início à Rolling Stone Music & Run

Antes mesmo do aquecimento para a corrida noturna, o Warriors subiu ao palco da Arena Rolling Stone para dar início à segunda Rolling Stone Music & Run, pouco depois das 20h. Comandada pelo vocalista do Republica, Leo Belling, a banda enfileirou clássicos do rock, percorrendo a história do gênero desde os anos 1960 (com “A Hard Day's Night”, dos Beatles), passando por “Suspicious Minds”, de Elvis Presley, “Rockin' In The Free World”, de Neil Young e “Born to be Wild”, do Steppenwolf, entre outros.

Playlist para correr: Paulo Ricardo (RPM).

Um dos momentos mais emblemáticos ficou por conta da performance de “Have You Ever Seen the Rain?”, do Creedence Clearwater Revival, justamente no dia em que voltou a chover na capital paulista, após mais de um mês de chuvas raras e fracas, e com o estado enfrentando a maior seca da história. Quando já se aproximava das 21h30, o show chegou ao fim com a explosiva “Highway to Hell”, do AC/DC: um aquecimento à altura do que viria pela frente.

Blitz promove volta saudosa aos anos 1980 com hits próprios e covers

É praticamente impossível não reconhecer os hits cultivados pela Blitz em trinta anos de carreira, como “A Dois Passos do Paraíso” e “Você Não Soube Me Amar” – mesmo para quem não era nascido nos anos 1980, quando o grupo estourou nacionalmente. “Claro que seríamos”, diz, aos risos, o vocalista Evandro Mesquita, quando questionado se o Blitz seria capa da Rolling Stone Brasil, caso a revista existisse nos anos de ouro da banda. “A gente iria muito bem na [capa da] Rolling Stone”.

Relembre como foi a primeira edição do Rolling Stone Music & Run.

Em entrevista nos camarins, antes de subir ao palco para encerrar o evento, a banda carioca comentou sobre a época em que foi seminal para o sucesso definitivo do rock feito no Brasil. “A gente abriu espaço mesmo para essa galera mais underground”, contou Mesquita. “Foi um momento muito importante, mudou inclusive o panorama das rádios”. O vocalista, após três décadas de estrada, afirma que é preciso “malhar muito” para aguentar as intensas apresentações. Estava no lugar certo.

Playlist para correr: Titi Müller.

Em forma e em sintonia, a Blitz deu as caras na Arena Rolling Stone logo após a chegada das provas de 5km e 10km. O grupo formado por Rogério Meanda (guitarra), Juba (bateria), Billy (teclado), Cláudia Niemeyer (baixo), Nicole Cyrne e Andrea Coutinho (backing vocals), além de Mesquita, deixou clara a tônica da apresentação logo com a primeira faixa, “Weekend”. As guitarras ecoadas e os teclados sempre presentes criaram a base para as histórias construídas com os diálogos indefectíveis entre os três vocalistas.

Playlist para correr: Bruno Gouveia (Biquini Cavadão).

“Que bom ver vocês com energia depois dessa maratona”, disse o frontman, cumprimentando o público extasiado com as músicas dançantes após uma cansativa corrida. Vieram “Mais Uma de Amor (Geme, Geme)”, “Eu, Minha Gata e Meu Cachorro” e a parceria com o Cidade Negra “Reggae do Avião”, antes da primeira cover, “Aluga-se”, de Raul Seixas. Daí em diante, a banda aproveitou para relembrar sucessos cariocas de três décadas atrás, como “Óculos”, do Paralamas do Sucesso, e “Bete Balanço”, do Barão Vermelho.

Playlist para correr: Tico Santa Cruz (Detonautas).

A banda ainda tocou “Perdidos Na Selva”, “Egotrip” e “Biquini de Bolinha Amarelinha”, antes de incendiar a plateia – que parecia não sentir a fadiga – com “Você Não Soube Me Amar”, hit máximo da Blitz. Quando Mesquita e seu time ameaçaram deixar palco, o público reagiu com gritos de “mais um”, respondidos em seguida pelo vocalista: “Como não? Como não?”. Em “A Dois Passos do Paraíso”, Mesquita recebeu e distribuiu para os atletas um buquê de flores, aumentando ainda mais a empatia com o público.

Playlist para correr: Supercombo.

Ao fim da apresentação extasiante e bem-humorada, terminou também a segunda edição da Rolling Stone Music & Run, dando o merecido descanso aos atletas que suaram a camisa ao correr pelas ruas de São Paulo. No próximo dia 15, a corrida noturna da RS sai pela primeira vez de São Paulo – veja mais informações aqui – com apresentação do Biquini Cavadão em Brasília.

1ª ROLLING STONE MUSIC & RUN – BRASÍLIA

Data: Sábado, 15 de novembro, a partir das 19h

Local: PARQUE DA CIDADE s/n - ASA SUL

Veja como foi a primeira edição do Rolling Stone Music & Run: