Com Amour, Michael Haneke ganha sua segunda Palma de Ouro em Cannes

Na Estrada, do brasileiro Walter Salles, saiu do festival sem prêmios

Redação Publicado em 28/05/2012, às 10h25 - Atualizado às 20h39

Amour
AP

Este ano, o austríaco Michael Haneke (no centro, na foto ao lado) foi o vencedor da Palma de Ouro, prêmio máximo do Festival de Cannes. Ele ganhou com o filme Amour, que conta a história de um casal de idosos em que o homem que cuida da esposa, após ela sofrer um derrame.

Leia textos das edições anteriores da Rolling Stone Brasil – na íntegra e gratuitamente!

Os dois atores principais do longa, Jean-Louis Trintignant, de A Fraternidade é Vermelha, e Emmanuelle Riva, de Hiroshima Meu Amor (eles aparecem ao lado de Haneke na foto) ainda receberam uma menção especial do presidente do júri, Nani Mortetti. Há três anos, Haneke já tinha levado a Palma de Ouro com A Fita Branca

Na Estrada, de Walter Salles, que também concorria ao prêmio máximo, saiu do festival sem ganhar nada. Mais três produções brasileiras foram exibidas, mas não estavam em categorias competitivas: A Música Segundo Tom Jobim, de Nelson Pereira dos Santos, foi mostrado em uma exibição especial, e Xica da Silva, de Cacá Diegues, e Cabra Marcado para Morrer, de Eduardo Coutinho, entraram para a mostra Clássicos de Cannes.

Participante do festival pela quarta vez, a diretora brasileira Juliana Rojas ganhou uma menção especial do Prêmio Nikon com o curta O Duplo.

Veja abaixo a lista completa dos vencedores da edição 2012 do Festival de Cannes.

Palma de Ouro

“Amour”, de Michael Haneke (França)

(com menção especial aos atores Jean-Louis Trintignant e Emmanuelle Riva)

Grande prêmio do júri

“Reality”, de Matteo Garrone (Itália)

Melhor atriz

Cosmina Stratan e Cristina Flutur, por “Dupã Dealuri”, de Cristian Mungiu (Romênia)

Melhor ator

Mads Mikkelsen, por “Jagten” (A Caça), de Thomas Vinterberg (Dinamarca)

Melhor diretor

Carlos Reygadas, por “Post Tenebras Lux” (México)

Melhor roteiro

“Dupã Dealuri” (Além das Colinas), de Cristian Mungiu (Romênia)

Prêmio do júri

“The Angel’s Share”, de Ken Loach (Reino Unido)

Caméra d’Or – melhor filme de diretor estreante

“Beasts of the Southern Wild”, de Behn Zeitlin (EUA)

Melhor curta-metragem

“Silêncio”, de L. Rezan Yesilbas (Turquia)