Comemorações registradas

Jota Quest lança em junho o DVD Multishow Ao Vivo Jota Quest – Folia & Caos, com os bastidores da turnê de 15 anos da banda; um corte desse material será exibido neste domingo, 29, às 19h

Stella Rodrigues Publicado em 29/04/2012, às 10h34 - Atualizado às 10h58

Jota Quest
Rafael Kent/Divulgação

Ao contrário da maior parte dos DVDs com imagens de festas de 15 anos, este não tem bolos, debutantes ou tias se esvaindo em lágrimas. O ano de comemoração de uma década de meia de Jota Quest foi marcado por folia e caos e somente com essas palavras, tiradas de “Na Moral”, maior hit do grupo, eles conseguiram definir a turnê comemorativa que rodou o Brasil. “Separamos várias frases de letras das quais gostamos muito”, conta que Rogério Flausino à Rolling Stone Brasil, “mas como a turnê de aniversário se chamava Jota Quest – 15 Anos na Moral, achamos legal tirar o verso daí. E os termos deram certo, porque foi realmente uma folia, uma bagunça, tudo muito despretensioso e caótico mesmo. A gente tinha convidado as pessoas para irem ao nosso primeiro show só para assistir, porque era nossa festa de aniversário. E a aí a Ana Butler, produtora, que sugeriu: ‘já que vai esse monte de artista, por que não chama essa galera para cantar?’ Assim foi indo a turnê inteira. Em todos os shows a gente ia vendo ao longo daquela semana quem poderia ir e definindo os convidados”. Dentre os arrebanhados pelo grupo estão Maria Gadú, Erasmo Carlos, Seu Jorge, Pitty, Ney Matogrosso, Marcelo Falcão, Nando Reis, Dado Villa-Lobos e Marcelo Bonfá.

Leia um perfil da banda publicado em julho de 2011, no qual ela reflete sobre o aniversário de 15 anos.

O CD/DVD/Blu-ray Multishow Ao Vivo Jota Quest – Folia & Caos chega às lojas somente em junho porque, de acordo com Flausino, a fabricação atrasou, mas um corte especial dele será exibido no Multishow neste domingo, 29, às 19h. A direção é de Joana Mazzucchelli e Daniel Ferro e a produção musical é assinada por Marcelo Sussekind.

O quinteto de Belo Horizonte, formado ainda por Márcio Buzelin (teclados), Marco Túlio Lara (guitarra), Paulinho Fonseca (bateria) e PJ (baixo), optou por uma forma diferente de construir o DVD. Em vez de as faixas aparecerem separadinhas, a primeira ordem dele é caótica como manda o nome, com depoimentos, backstage, trechos de músicas e imagens da interação entre banda e convidados tudo em um balaio só. “São duas horas de filme, misturado com show, documentário. São oito números musicais completos, fora os outros amigos que aparecem em encontros e conversas, os bastidores disso tudo e quatro músicas inéditas”. Porém, há a opção de ouvir o DVD somente com as faixas, de forma que o material pode ficar de fundo para uma festa e o som não para de tocar. “Tem gente que gosta de DVD de música e tem gente que gosta de documentário, demos as duas opções”, explica.

A escolha de repertório partiu do princípio de não fazer repetecos, nem um “best of”. “Tentamos escolher para esse título o mínimo de coisas possível que já existiam na história da banda, em outras coletâneas. O CD, por exemplo, tem 16 canções: oito encontros musicais, quatro novas, dois lados B e somente dois hits (‘Do Seu Lado’, que é diferente porque tem o Nando Reis cantando com a gente, e nosso último single, ‘É Preciso’). Para quem tem a discografia completa da banda, esse é um retrato diferente”.

Sobre as inéditas, Flausino conta que 2011 era para ter sido um ano de disco novo chegando ao mercado, de acordo com o planejamento oficial da banda, mas a empolgação de continuar com os shows ficou e a inspiração para compor não veio, de forma que decidiram continuar na estrada. A determinação de compor algo veio depois, da reflexão de que aquele não deveria ser um ano de ficar só repassando as coisas. “Vamos olhar para frente. Entrar em estúdio no meio daquela confusão toda, compor e gravar, foi muito bom exatamente para quebrar isso. Em outubro, quando já sabíamos que lançaríamos o DVD, resolvemos dar um tapa em umas músicas. Uma delas era ‘Tudo Está Parado’, que eu tinha acabado de compor, com uma letra do Humberto Gessinger que achei lindona, tinha tudo a ver com o que a gente estava vivendo, ‘tudo está parado, esperando uma palavra’.”

O trabalho de criação acabou dando vida a um EP virtual, realizando um desejo da banda de entrar nesse mercado. “Foi para dar uma brincada com essa parada do iTunes, que deixou muito prático comprar música. Colocamos as duas inéditas, ‘Perto de Mim’, que é o single, ‘Tudo Está Parado’, e a participação da Gadú e do Legião que estão no Ao Vivo. Quando o CD/DVD chegar ao mercado, vamos colocar o material todo dele, áudio e vídeo, no iTunes.”

Acabou sendo um ano bem diferente para o Jota, que começou 2011 pensando que ele seria de um jeito e chegou a dezembro bastante satisfeito com o rumo que as coisas tomaram. “É igual casamento, depois de um tempo precisa fazer um negócio diferente. Só não pode trocar de mulher, mas tem que apimentar as coisas, inventar umas modalidades, sair da rotina, despertar outras sensações.”

“Esse é um documento muito importante para a gente mesmo, para nos orgulharmos dessa história, pensar a importância que essa banda tem na nossa vida pessoal, vermos o quanto amadurecemos e recarregar as baterias para poder seguir em frente. O décimo quinto ano da nossa vida foi o ano que a gente mais se divertiu, mais bebeu (nossa, tô arregaçado). O décimo sexto ano é o ano da ressaca”, brinca.

Turnê

Em uma “inception” de turnês, o Jota resolveu levar para a estrada o DVD que registrou a turnê anterior da banda. Em 23 de junho, acontece a estreia de Folia&Caos, no Credicard Hall, em São Paulo. O giro segue até o segundo semestre, com várias datas fechadas e, quando terminar, é hora do quinteto de pais de família voltar para casa, passar uns tempos por lá, e entrar em estúdio para fazer o disco que acabou não saindo no ano passado. “Tem que dar uma descansada que a gente não é mais menino não!”