Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone

Como a morte de Chorão ajudou Alexandre Frota a livrar-se do vício em drogas

Em podcast, Frota relembrou como a perda do amigo, ex-vocalista do Charlie Brown Jr, o ajudou na recuperação da dependência química

Redação Publicado em 02/05/2023, às 16h31

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Alexandre Frota e Chorão (Reprodução)
Alexandre Frota e Chorão (Reprodução)

Alexandre Frota relembrou, na última semana, como a morte de Chorão o ajudou a superar seu próprio vício em drogas. A recordação veio à tona no podcast Brasil Para Maiores, do UOL, no qual Frota detalhou sua passagem pela indústria pornô, em meados da década de 2000, e a dependência química com a qual lidou posteriormente.

"Passei por fases complicadas envolvidas com droga, sexo, situações que foi difícil sair", comentou Frota. "Vocês tão olhando um cara que tá aqui, vivo por milagre."

+++ LEIA MAIS: Livro revela desabafo de Champignon no dia da morte de Chorão

Segundo o ex-ator, de 59 anos, a morte de Chorão, em 6 de março de 2013, teria sido um ponto de virada. Frota, que chegou a prestar sua homenagem no velório do músico, teria se chocado com as circunstância da morte do vocalista do Charlie Brown Jr, que foi encontrado aos 42 anos, vítima de uma overdose de cocaína, em seu apartamento no bairro de Pinheiros, em São Paulo:

"Quando aconteceu o que aconteceu com o Chorão, eu fiquei pensando: 'caraca, será que vai ter uma hora que minha mãe vai ligar a televisão e vai ver a notícia de que o filho dela foi encontrado morto em um hotel de quinta categoria, sabe? Com overdose, o caralho...'"

+++ LEIA MAIS: 10 anos sem Chorão: Por que o líder do Charlie Brown Jr. tinha esse apelido?

Frota ainda comentou que, em seguida ao episódio, começou a pensar em internações e no estado em que sua vida se encontrava. Na época, ele admite, lidava com vício em drogas como cocaína e ecstasy ("eu nunca gostei de maconha, nuca gostei de ficar good vibes"). Ele conta:

"Aí pensei em me internar várias vezes. Vou, não vou, vou, não vou... chorava... aí olhava e fala 'todo mundo tá casado, tem uma namorada, uma família e eu não tenho'. Comecei a ficar nessa vibe. Porque eu era um cara que usava e que era usado, pronto, acabou. Não tem amanhã. Foram escolhas minhas. Aí fui caminhando pra esse buraco e falei 'pô, não quero mais isso'. Bati no fundo e no teto do poço. E você só conhece como você vai sair na hora que você bate nele."

Nos anos seguintes à morte de Chorão, Alexandre Frota afirma ter se livrado do vício em drogas. Posteriormente, naquela década, iniciaria uma carreira política que o levaria ao cargo de deputado federal nas eleições de 2018, pelo PSL.

"Eu tô há 10, 12 anos completamente limpo, virei outra pessoa. Aquele Alexandre Frota que existiu foi outra coisa."

+++ LEIA MAIS: Fã tatua código do Spotify com música do Charlie Brown Jr

Ouça abaixo o podcast Brasil Para Maiores com a entrevista de Alexandre Frota:

.