Como The Clash se tornou rei de Nova York com 17 shows em 1981?

A banda britânica conquistou o público nova-iorquino após um desentendimento com os bombeiros da cidade

Redação Publicado em 18/02/2020, às 13h05

None
The Clash (Foto: AP)

No início da década de 1980, o The Clash conquistou o público nova-iorquino com uma sequência impressionante de 17 shows na casa de show Bonds, na Times Square.

Inicialmente, a banda britânica tinha planos para realizar 7 shows para divulgar o quarto disco da carreira, Sandinista!. E, logo na primeira noite, a pequena casa de show, com capacidade para 1.750 pessoas, teve os ingressos esgotados.

+++ LEIA MAIS:  Por que o último show de Mick Jones com The Clash terminou em fiasco? Entenda

Contudo, a agitação das ruas de Nova York causadas por Joe Strummer, Mick Jones, Paul Simonon e Topper Headon não foi bem recebida por todos e os bombeiros foram acionados para impedirem os shows dos músicos.

Com a repercussão do possível cancelamento dos shows, os fãs, principalmente aqueles que ainda não tinham assistido o show do The Clash, começaram a comprar para ver os músicos no palco.

+++ LEIA MAIS: 40 anos de London Calling: 7 curiosidades sobre o disco do The Clash [LISTA]

Em resposta à agitação dos espectadores e da imprensa, a banda decidiu aumentar o número de apresentações e realizaram, no total, 17 performances para o público norte-americano.

Nos shows, os músicos criaram uma conexão singular com a plateia ao ponto de convidar os espectadores para subirem no palco e cantarem as canções com a banda. Além disso, as apresentações contaram com shows de abertura das bandas Fall, Grandmaster Flash and the Furious Five, Dead Kennedys, Allen Ginsberg, e LeeScratchPerry.

Assista à apresentação do The Clashde "Safe European Home" e o áudio completo do show no Bonds: 


+++ SESSION ROLLING STONE: RUBEL TOCA MANTRA