Como foi a primeira vez em que John Lennon e Paul McCartney tomaram LSD juntos?

McCartney revelou como foi a primeira “viagem” com ácido dele no livro Many Years From Now

Redação Publicado em 11/06/2020, às 13h25

None
Paul McCartney e John Lennon (foto: Reprodução/ AP)

Além dos inúmeros hits que dominavam as paradas musicais, os Beatles também eram conhecidos pelas aventuras com substâncias ilícitas, como o LSD. A droga definitivamente  influenciou o processo criativo do Fab Four, segundo muitos fãs, o quais apontam que o disco Revolvercomo marco das “viagens” do grupo.

Dos quatro músicos, Paul McCartney foi o último a experimentar o LSD, de acordo com o Far Out Magazine. E a primeira “viagem” do músico foi ao lado do parceiro de composições, John Lennon

+++ LEIA MAIS: Qual clássico dos Beatles foi considerado por John Lennon como ‘aquecimento’ para Yesterday?

Na biografia de McCartney, Many Years From Now, o escritor Barry Miller relembrou o momento em que o cantor sentiu os efeitos da droga no corpo e descreve as consequências que o uso dela trouxe para o beatle. 

“[Eu e Lennon] olhamos nos olhos um do outros, o contato visual que costumávamos fazer, que é bem impressionante. Você se dissolve no outro, mas é isso que fizemos, nessa época”, disse o músico. 

“E foi incrível. Você está olhando nos olhos um do outro e gostaria de desviar o olhar, mas não o faz e você poderia se ver na outra pessoa. Foi uma experiência muito estranha e eu fiquei totalmente fascinado”.

+++LEIA MAIS: Beatles: site lista 50 motivos para ainda amar o disco ‘Let It Be’

McCartney disse que foi uma boa “viagem’, mas que, depois de quatro ou cinco horas, só queria dormir. Porém, o cantor foi alertado por Lennon que não conseguiria simplesmente cair no sono. 

“Eu sei disso, mesmo assim eu preciso ir para cama”, respondeu o músico. “Mas é claro, você não consegue dormir em uma viagem com ácido, então eu fui para a cama e alucinei muito na cama [...] Quero dizer, eu podia sentir cada centímetro da casa e John parecia um  imperador no controle de tudo. Foi bem estranho. É claro que ele estava apenas sentado ali, de maneira inescrutável”.

No livro, McCartney também falou sobre os efeitos do LSD depois da “viagem”. Para ele, existe algo “perturbador” na volta para o estado normal, pois não tem como se sentir da mesma forma que era antes de tomar a dose. 

“Depois disso, você precisa de uma trepanação ou meditar pelo resto da vida. Você precisa tomar uma decisão sobre qual direção seguirá”, disse o beatle.


+++ DELACRUZ | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO