Como Freddie Mercury contou a Mary Austin que era ‘bissexual’: ‘Foi um alívio’

No documentário Freddie Mercury: The Untold Story, lançado em 2000, a ex-namorada do astro do Queen relembra como foi receber a notícia

Redação Publicado em 04/02/2020, às 11h47 - Atualizado às 11h48

None
Mary Austin e Freddie Mercury (Foto: Reprodução)

Freddie Mercury nasceu em Farrokh Bulsara em Zanzibar, em 1946, mas ficou conhecido pelo nome artístico e como parte dos gigantes do rock britânico, Queen. O cantor se tornou um dos músicos mais famosos e conceituados da história com os sucessos lendários "Bohemian Rhapsody" e "We Are the Champions". 

Ao longo da vida e além da fama, Mercury teve vários casos amorosos, mas um dos mais longos e marcantes da história para o astro, foi o relacionamento com Mary Austin

+++ LEIA MAIS: Mary Austin detalha a conexão com Freddie Mercury: ‘A dor dele era a minha dor’

Os dois se conheceram quando ela tinha 19 anos e ele 24 anos. Na época, ela trabalhava como assistente de vendas em uma loja de roupas e inicialmente namorava o colega de banda, Brian May

No entanto, a conexão entre os dois foi imediata e eles começaram a sair juntos. No documentário Freddie Mercury: The Untold Story, lançado em 2000, o fotógrafo de música Mick Rock relembra: "Mary cuidava de Freddie, mas ele era muito atencioso com ela". 

+++ LEIA MAIS: Por que o vídeo de "I Want To Break Free" acabou com o sucesso do Queen nos EUA? 

"Não importa o que estava acontecendo, era um caso de amor."

Mercury e Austin logo se mudaram para morar juntos e ele a elencou como uma das confidentes mais próximas. No entanto, quatro anos depois, ela relembra, no mesmo documentário, que começou a notar uma mudança nele. A dupla esteve junta em um relacionamento amoroso durante seis anos ate o vocalista do Queen se assumir bissexual. 

+++ LEIA MAIS: Por que John Deacon não falou com Freddie Mercury antes da morte do ex-vocalista do Queen?

“Percebi quando ele ficou próximo de John Reid Enterprises. Naquele momento, entendi o porque o relacionamento havia mudado". 

“Eu não sabia com quem ele estava ou quem estava vendo, apenas tive uma ideia do que estava acontecendo. Eu não tinha certeza", acrescenta. "Mas sabia que esse homem não estava em harmonia consigo mesmo". 

“Percebi ele estava se sentindo mal por alguma coisa e não estava confortável, por isso, evitava algumas situações. Isso não era coisa de Freddie. Pelo menos não o que conheci". 

+++ LEIA MAIS: Os últimos instantes de Freddie Mercury: "Terrivelmente fraco", diz Jim Hutton

Com isso, os dois conversaram e Austin disse que "foi realmente um alívio ouvir isso dele". 

"Senti como se um grande peso fosse tirado das minhas costas. Gostei dele ter sido honesto comigo", conta. 

Após Mercury assumir a própria sexualidade, eles permaneceram muito próximos até a morte dele em 1991 aos 45 anos, cinco anos após ter sido diagnosticado com AIDS. Austin foi uma das pessoas que cuidou do astro até os últimos momentos. 


 +++ MELHORES DISCOS BRASILEIROS DE 2019 (PARTE 2), SEGUNDO A ROLLING STONE BRASIL