Como The Strokes criou o nome do novo disco The New Abnormal?

O sexto álbum da banda foi lançado no dia 10 de abril

Redação Publicado em 24/04/2020, às 10h41

None
The Strokes lança The New Abnormal, o sexto disco da carreira

Antes de lançar o sexto disco da carreira, o The Strokes já tinha revelado que o próximo trabalho do grupo seria chamado de The New Abnormal. Como se tivessem previsto os novos tempos da humanidade isolada por causa do coronavírus, a banda anunciou “o novo anormal”.

Contudo, essa não foi a inspiração dos músicos nova-iorquinos. Em entrevista ao New York Post, Julian Casablancas explicou que o nome faz referência aos desastres naturais que tomaram conta da Califórnia, em 2018.

+++ LEIA MAIS: Julian Casablancas, sincerão, diz que The New Abnormal do The Strokes é o ‘4º disco favorito’ que participou

“Parece profético por causa do paralelo entre algo como o coronavírus [...] Mas o nome veio dos incêndios [da Califórnia] quando Malibu basicamente queimou. Tudo ao redor do estúdio onde trabalhávamos queimou. E o governador [Jerry Brown] surgiu com a fala.”

Casablancas ainda falou sobre a inspiração para duas canções do disco, “Brooklyn Bridge to Chorus” e “Ode to the Mets”. Segundo o músico, os nomes surgiram espontaneamente em momentos do cotidiano. 

+++ LEIA MAIS: The Strokes voltaram a ser bons ou o mundo que enfim ficou esquisito como eles?

“É apenas um nome tolo que eu tenho esperado para usar há muito tempo. É definitivamente minha ponte favorita no mundo. É bem icônica”, disse o vocalista sobre “Brooklyn Bridge to Chorus”.

Já “Ode to the Mets” surgiu depois da derrota do time de beisebol New York Mets pelo o San Francisco Giants, em 2016. Casablancas disse: “Era meio que uma piada porque era uma música triste que eu escrevi. Eu estava de pé na plataforma do trem 7 depois que eles perderam em um jogo essencial”

Ele completou: “Foi, tipo, um momento deprimente. Era uma música [que escrevi] logo depois do jogo do Mets, então chamamos de ‘Ode to the Mets’. Nós chegamos a um ponto de mudar e todos ficaram: ‘Não, precisamos manter isso’”.


+++ RUBEL | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO | ROLLING STONE BRASIL