Como uma cantora desconhecida transformou 'Great Gig In The Sky', do Pink Floyd, em um clássico

A faixa entrou no disco The Dark Side of the Moon (1973)

Redação Publicado em 08/09/2020, às 17h43

None
Pink Floyd (Foto: Divulgação)

"The Great Gig in the Sky", música do disco The Dark Side of the Moon (1973), do Pink Floyd, virou um clássico da banda. O que torna a faixa tão especial, como relembra o Far Out Magazine, é a presença do vocal de Claire Torry.

Antes da canção oficial ser lançada, o grupo testou diferentes efeitos sonoros, no entanto, não gostavam completamente do resultado. Pouco antes do álbum precisar ser entregue à Harvest Records, o Pink Floyd decidiu colocar uma voz feminina na música. 

+++LEIA MAIS: Pink Floyd: afinal, como foi a briga entre Roger Waters e David Gilmour

Assim, o engenheiro de som Alan Parsons sugeriu que a banda deveria chamar Torry, com apenas 25 anos na época, com quem tinha trabalhado anteriormente. Parsons marcou uma sessão com a artista para testar a voz dela na faixa do grupo de rock.

Como pontua o FOM, os integrantes pediram para a jovem pensar "sobre morte e terror" e improvisar sobre a música. Claire fez duas tomadas completas, e a segunda foi a mais emocionante de todas. A cantora se recusou a gravar uma terceira, no entanto, por achar o processo repetitivo.

+++LEIA MAIS: A mensagem secreta para Syd Barrett incluída The Wall pelo Pink Floyd

Ao sair do estúdio, Torry pensou que a banda não usaria os vocais dele. Ela só reparou que apareceu no disco quando achou o disco em uma loja e viu o próprio nome nos créditos. No final, o Pink Floyd juntou todas as tomadas gravadas pela cantora e introduziu na canção.

Em entrevista, Claire comentou sobre a colaboração: “Eu entrei, coloquei os fones de ouvido e comecei a dizer 'Ooh-aah, baby, baby - sim, sim, sim'. Eles disseram: 'Não, não - nós não queremos isso. Se quiséssemos, teríamos Doris Troy'. Então, falaram: 'Tente algumas notas mais longas'. Então comecei a fazer isso um pouco. Todo esse tempo, eu estava ficando mais familiarizado com a trilha de apoio”.

+++ LEIA MAIS: Como o Pink Floyd mudou o rock and roll com o primeiro disco da carreira

Ela completou: "Foi quando eu pensei: ‘Talvez eu deva apenas fingir que sou um instrumento’. Então eu disse: ‘Comece a faixa novamente’. Alan Parsons conseguiu um som adorável na minha voz: eco, mas não muito eco. Quando fechei os olhos - o que sempre fiz - estava tudo envolvente; um adorável som vocal, que para um cantor, é sempre inspirador".

Ouça "Great Gig In The Sky":


+++ BK' lança novo disco e fala sobre conexão com o movimento Vidas Negras Importam: 'A gente sabia que ia explodir'