Como Walter White descobriu a única fraqueza do poderoso chefão Gus Fring em Breaking Bad?

O personagem de Giancarlo Esposito é considerado o maior vilão da série premiada

Redação Publicado em 15/08/2020, às 16h00

None
Giancarlo Esposito e Bryan Cranston em Breaking Bad (foto: reprodução/ AMC)

Gus Fring, interpretado por Giancarlo Esposito, foi o maior e mais intimidador vilão de Breaking Bad, fazendo o Walter White de Bryan Cranston literalmente tremer e chorar de medo. Mas, mesmo assim, o Heisenberg venceu. Como?

Walter fica numa constante queda de braço intelectual com Gus. Ele sabe que o vilão considera ele instável demais, principalmente devido aos conflitos com o Cartel e por ser cunhado do detetive Hank. Ao mesmo tempo, ele ainda não pode mandar matar o Heisenberg, não sem ter um químico que consiga produzir metanfetamina tão bem. 

+++LEIA MAIS: Breaking Bad: 5 vezes em que Saul Goodman foi uma pessoa correta [LISTA]

Por isso, o protagonista utiliza desse tempo para espionar e tentar descobrir mais sobre o passado desse homem que parece estar preparado para tudo. Walter tenta a solução fácil, deixar uma bomba no carro de Gus. O plano dá errado: 

Walter fica ainda mais desesperado, pois Jesse Pinkman (Aaron Paul) dominou a maneira de produzir metanfetamina tão boa quanto a dele, além de ter desenvolvido respeito por Gus Fring - o que torna o Heisenberg descartável para a operação criminosa e mais perto do que nunca da morte. 

Como sempre, White consegue descobrir a única vulnerabilidade do vilão e bola um plano mirabolante para explorá-la. Tem tudo a ver com Hector Salamanca, mais conhecido como 'Tio', o assassino idoso e debilitado do Cartel de Juarez:

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 

"You will not blow me up, you will not blow me up."

Uma publicação compartilhada por Better Call Saul (@bettercallsaulamc) em

+++LEIA MAIS: Ator de Breaking Bad está na mira da Marvel para papel de vilão do MCU; entenda o rumor

Anos antes de Walter entrar no crime, Hector matou brutalmente o sócio (e possível amante) de Gus, Max Arciniega, em 1989:

Walter White sabe que, devido às visitas frequentes de Gus ao homem que ele odeia, Hector, essa é uma parte da vida do vilão na qual ele perde o controle sobre as emoções, se dando ao luxo de uma vingança demorada. Por isso ele decide colocar uma armadilha justo na cadeira de rodas do 'Tio'.

+++ LEIA MAIS: O momento arrepiante de Breaking Bad no qual Walter White se tornou o temível Heisenberg [ANÁLISE]

Aproveitando-se de um dos únicos caprichos do calculista Gus Fring e o desejo de rir por último de Hector Salamanca, Walter convenceu o velho a se explodir junto com o dono do restaurante Los Pollos Hermanos:

O episódio ainda tem um toque final bem poético, já que ele é intitulado 'Face Off'. Em inglês, isso pode significar tanto um confronto cara a cara entre Walter White e Gus, mas também indica que Gus teve o rosto 'removido' por causa da explosão que o matou. É um dos melhores e mais memoráveis momentos de Breaking Bad.


+++RAP, FUNK E PAGODE NA ENTREVISTA COM OROCHI: 'SOU ESSA MISTURA LOUCA' 


+++ PLAYLIST COM CLÁSSICOS DO ROCK PARA QUEM AMA TRILHAS SOBRE DUAS RODAS