Compositores de DLC de Doom Eternal falam sobre importância do heavy metal na franquia [ENTREVISTA]

Com trilha sonora composta por David Levy e Andrew Hulshult, The Ancient Gods – Parte Dois estreou em 18 de março de 2021

Felipe Grutter | @felipegrutter (com supervisão de Yolanda Reis) Publicado em 28/03/2021, às 12h00 - Atualizado às 12h30

None
The Ancient Gods – Parte Dois, DLC de Doom Eternal (Foto: Divulgação/Bethesda)

Doom é uma das franquias mais populares e importantes da história dos videogames. Criado pela id Software em 1993, o jogo foi um dos precursores do FPS, sigla em inglês para First Person Shooter (“Tiro em Primeira Pessoa,” na tradução livre), e revolucionou ao misturas gráficos 3D com bastante violência gráfica e personagens 2D.

O objetivo do jogo era encontrar a saída para a próxima fase enquanto precisava sobreviver a inimigos monstruosos e armadilhas. Os mapas eram verdadeiros labirintos com áreas secretas responsáveis por recompensar o jogador que explorava atentamente as áreas.

+++LEIA MAIS: Game Doom pode ganhar reboot com astro de Velozes e Furiosos, diz rumor

Em 2016, ganhou o quarto jogo, desenvolvido por id Software e Bethesda, e serviu como espécie de reboot. O jogador controla um fuzileiro espacial enquanto luta contra forças demoníacas em uma colônia espacial de Marte. A jogabilidade foi reformulada e trouxe uma pegada mais frenética. Um dos pontos mais notáveis era a trilha sonora com marcante heavy metal.

O game ganhou continuação alguns anos depois, com Doom Eternal (2020). O protagonista é Doom Slayer, antigo guerreiro responsável por lutar contra forças demoníacas do inferno. Para lidar com as ameaças, conta com extenso arsenal: Super Shotgun, Heavy Cannon, Rocket Launcher, Plasma Rifle, entre outros.

+++LEIA MAIS: 6 games que queremos muito jogar em 2021: Resident Evil Village, God of War e mais [LISTA]

Eternal ganhou a DLC, conteúdo adicional pago, intitulado The Ancient Gods, dividido em duas partes. A trama mostra Slayer enquanto precisa reunir exércitos dispersos dos Sentinelas, sitiar o último bastião do Inferno e enfrentar o próprio Senhor da Escuridão. Quem assinou a trilha sonora foi David Levy e Andrew Hulshult.

+++ SIGA NOSSO SPOTIFY - conheça as melhores seleções musicais e novidades mais quentes

+++LEIA MAIS: 6 promessas não cumpridas (e maiores decepções) de Cyberpunk 2077 [LISTA]

Em entrevista à Rolling Stone Brasil, os compositores falaram como foi trabalhar nessa franquia especial, da importância do heavy metal e mais.

David Levy nasceu em Austin, Texas, e começou a trabalhar com música na Power Station Studios como engenheiro de som, mixer e produtor. Andrew Hulshult é de Dallas, Texas, e começou a compor em games quando contratado para um remake cancelado de Duke Nukem 3D.

+++LEIA MAIS: Josi Gamer, YouTuber e gamer, ensina a fazer martelo de Thor em nova série do SBT Games; assista


História com Doom

Ambos conheceram Doom e o jogaram quando jovens. Levy tinha 15 anos e o jogo foi um dos primeiros FPS da vida dele, assim como Heretic (1994). Hulshult teve o primeiro contato com uns quatro ou cinco anos, graças ao tio, quem apresentou o game enquanto cuidava dele.


Trabalho com Bethesda

De acordo com Hulshult, o contato de trabalho da Bethesda com a dupla foi “indolor.” A desenvolvedora enviou alguns materiais do jogo para os dois criarem trilhas com bastante liberdade criativa. Para o músico, todo processo foi muito divertido.

+++LEIA MAIS: The Last of Us: Pedro Pascal e Bella Ramsey, de Game of Thrones, são confirmados na série da HBO

Por conta da pandemia de coronavírus, todas canções foram gravadas da casa de cada um dos compositores. Hulshult saía de casa apenas para gravar alguns sons ambientes: “Iria para Dallas com um pequeno dispositivo portátil e gravaria alguns sons e os usaria na música.”

De acordo com ambos, Ancient Gods foi um dos trabalhos mais singulares da carreira. David Levy (quem trabalhou anteriormente com games menores, cinemas e televisão), por trabalhar em jogo AAA (termo usado para definir produções de grande porte) gostou da liberdade e confiança dada às composições. Porém, “sinto não ter chegado perto da superfície do possível nesse tipo de música.”

+++LEIA MAIS: Os 7 God of War, do pior ao melhor, de acordo com crítica especializada [LISTA]


Música em Doom

Também comentou como Doom requer um tipo de tom e som muito particular - e bibliotecas de estoque e samples são jogados de lado, “simplesmente não funciona.” Usaram equipamento analógico e trabalharam isso com os melhores plugins do mercado.

Segundo David Levy, trilha sonora da franquia equivale a 50% da experiência, porque todos efeitos são inovadores e ajudam a imergir o jogador na experiência. A música “realmentete coloca naquele modo de matar demônios.” O colega concordou e disse como a trilha precisa ser agressiva, mas, ao mesmo tempo, pegajosa.

+++LEIA MAIS: Jogadores de Hogwarts Legacy poderão criar personagens transgêneros

Para ambos, o heavy metal já conhecido e icônico de Doom é um elemento já estabelecido e indissociável. Andrew Hulshult explicou como outro gênero não deveria funcionar, porque o público deseja é algo os empurrando para frente, sentir-se como um monstro completo e indestrutível na tela: “Isso se resume aos princípios básicos do metal com design de som misturados com algumas coisas estranhas também.”


Futuro de Doom

Andrew Hulshult e David Levy estão ansiosos e com boas expectativas para os próximos anos da franquia. Mesmo sem saber dos planos da Bethesda, os trabalhos com os dois últimos games tornaram os próximos jogos promissores. Esperam ver cada vez mais histórias nesse universo.

+++LEIA MAIS: Mike Patton, do Faith No More, canta tema de novo jogo das Tartarugas Ninjas


+++ HUNGRIA HIP HOP | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO | ROLLING STONE BRASIL


+++MAIS SOBRE GAMES: 10 games que completam uma década em 2021: Batman: Arkham City, Skyrim e mais [LISTA]

Todo ano, a indústria dos games ganha títulos revolucionários, icônicos e marcantes. Inclusive, 2011 foi um grande ano para os videogames, tanto que a indústria faturou, nos Estados Unidos, valor entre US$ 16,3 e US$ 16,6 bilhões, segundo dados da NPD.

Desenvolvedoras de grande porte, como Valve Corporation, Bethesda Game Studios, Sucker Punch Productions e NetherRealm Studios foram responsáveis por lançar títulos memoráveis, como Portal 2, The Elder Scrolls V: Skyrim, Infamous 2 e Mortal Kombat 9, respectivamente.

+++ SIGA NOSSO SPOTIFY - conheça as melhores seleções musicais e novidades mais quentes

Porém, uma desenvolvedora não tão grande, chamada Rocksteady, lançou um dos melhores jogos de super-herói da história. Batman: Arkham City, segundo game da franquia lançado pela empresa, foi um dos maiores destaques de 2011 - e é amado por diversos fãs do homem-morcego até os dias de hoje -, com cerca de 12,5 milhões de cópias vendidas.

Veja, abaixo, 10 games lançados em 2011.


Batman: Arkham City

Após o prefeito Quincy Sharp tranferir detentos do Asilo Arkham para distritos de Gotham. Por conta disso, o caos se instaura na região e um tal de Protocolo 10 começa a aterrorizar a cidade.

Por conta disso, Bruce Wayne precisa vestir o traje de Batman para enfrentar vilões como Hugo Strange, Coringa, Duas-Caras, Pinguim, entre outros.

Data de lançamento: 18 de outubro de 2011.

Desenvolvedoras: Rocksteady Studios, WB Games Montreal.


Portal 2

Neste game co-op, os jogadores precisam resolver quebra-cabeças com portais, com intuito de chegar ao objetivo com sucesso.

Data de lançamento: 18 de abril de 2011.

Desenvolvedora: Valve Corporation.


The Elder Scrolls V: Skyrim

Skyrim é um jogo de RPG mundo aberto da aclamada série The Elder Scrolls. O jogador é livre para andar pelo mundo e fazer missões como quiser. Cada vilarejo e cidade possui economia própria, nos quais o usuário pode manipular ou sabotar os ambientes.

Data de lançamento: 11 de novembro de 2011.

Desenvolvedoras: Bethesda Game Studios e Iron Galaxy.

+++LEIA MAIS: 36 anos de ‘We Are The World’ - 5 curiosidades dos bastidores da gravação [FLASHBACK]


Battlefield 3

Situado no ano de 2014, o jogo traz missões de recordações, as quais fazem parte do interrogatório do sargento Blackburn. O jogador passa por conflitos em diversos locais, como Irã, Paris e Nova York.

Data de lançamento: 25 de outubro de 2011

Desenvolvedora: EA Digital Illusions CE


The Legend of Zelda: Skyward Sword

Com monstros, calabouços com quebra-cabeças, inimigos e chefões, em The Legend of Zelda: Skyward Sword o jogador controla Link na tentativa de derrotar Demise.

Data de lançamento: 18 de novembro de 2011

Desenvolvedoras: Nintendo e Monolith Soft


Deus Ex: Human Revolution

O jogo se passa em 2027, 25 anos antes dos eventos do Deus Ex original. Nele, o jogador se vê em um futuro cyberpunk com organizações secretas, conspirações e Illuminati.

Data de lançamento: 23 de agosto de 2011

Desenvolvedora: Eidos Montréal

+++LEIA MAIS: Marvel limitou uso de personagens em WandaVision, revela integrante da produção


Call of Duty: Modern Warfare 3

Em Modern Warfare 3, o público acompanha os fatos responsáveis por desencadear a Terceira Guerra Mundial, travada entre Estados Unidos e Rússia.

Data de lançamento: 8 de novembro de 2011

Desenvolvedoras: Infinity Ward


Mortal Kombat 9

Uma releitura do primeiro Mortal Kombat, o nono jogo da franquia mostra os heróis na tentativa de proteger a Terra (Earthrealm) dos invasores da Exoterra (Outworld).

Data de lançamento: 28 de Abril de 2011

Desenvolvedora: NetherRealm Studios e High Voltage Software


Rayman Origins

Originalmente, Rayman Origins seria uma prequela do jogo original, enquanto mostraria as origens das aventuras do protagonista e a relação dele com os amigos. No entanto, o game tornou-se uma sequência e as "origens" do título se referem ao retorno da jogabilidade inicial.

Data de lançamento: 15 de novembro de 2011

Desenvolvedora: Ubisoft

+++LEIA MAIS: Tom Holland carrega irmão em 1ª imagem do set de Homem-Aranha 3


Infamous 2

Situado no mês seguinte dos eventos do primeiro jogo, Cole se prepara para enfrentar Fera, entidade de poderes inimagináveis. O protagonista e o melhor amigo, Zeke, se encontram com a agente da NSA Lucy Kuo, para levar eles ao Dr. Sebastian Wolfe, cientista responsável por criar o fenômeno que deu poderes ao personagem principal.

Data de lançamento: 7 de junho de 2011

Desenvolvedora: Sucker Punch Productions