Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone

Congresso Nacional, Palácio do Planalto e STF são invadidos por manifestantes pró-Bolsonaro

As sedes dos Três Poderes foram invadidas por volta das 15h deste domingo, 08, e a Polícia Militar foi acionada para conter as manifestações

Redação Publicado em 08/01/2023, às 16h00

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Cena da invasão (Foto: Reprodução/ Redes sociais)
Cena da invasão (Foto: Reprodução/ Redes sociais)

Centenas de bolsonaristas invadiram o Congresso Nacional, o Palácio do Planalto e o Supremo Tribunal Federal por volta das 15h deste domingo, 08. Vestidos com as cores da bandeira nacional, alguns dos participantes do ato antidemocrático pediam por intervenção militar e a polícia teve de ser acionada.

Segundo informações do G1, agentes da Polícia Militar tentaram conter os manifestantes com spray de pimenta e bombas de efeito moral, uma vez que, além de invadir as sedes dos Três Poderes, alguns dos bolsonaristas ainda carregavam pedras e pedaços de pau. Em imagens da invasão, é possível ver que um carro da Força Nacional chegou a cair no espelho d'água do Congresso durante a contenção.

+++LEIA MAIS: Além de Bolsonaro, dois presidentes não passaram a faixa; relembre

Enquanto manifestantes subiram no teto do Congresso, erguendo placas pedindo por intervenção militar, muitos quebraram as vidraças da sede e outros grupos chegaram a invadir o Salão Verde da Câmara dos Deputados. Depois disso, o grupo partiu em direção ao Palácio Nacional — onde chegaram até o quarto andar e depredaram diversos ambientes — e ao STF — onde quebraram vidraças da fachada.

Diante da invasão, o ministro da Justiça Flávio Dino comentou o caso em seu Twitter, classificando os atos como “absurdos”. "Essa absurda tentativa de impor a vontade pela força não vai prevalecer. O Governo do Distrito Federal afirma que haverá reforços. E as forças de que dispomos estão agindo. Estou na sede do Ministério da Justiça”, escreveu o ministro.

Palácio do Planalto
Móveis depredados no Palácio do Planalto (Foto: Reprodução/ Redes sociais)

+++LEIA MAIS: Posse de Lula é manchete no The New York Times

Anderson Torres, o ex-ministro da Justiça e atual secretário de Segurança Pública do Distrito Federal, por sua vez, determinou que o setor de operações da pasta deve tomar "providências imediatas para o restabelecimento da ordem''. "Cenas lamentáveis agora na Esplanada dos Ministérios", afirmou.

Pouco tempo depois do início da invasão, surgiram informações de que a mobilização estava sendo organizada por grupos pró-Bolsonaro no Telegram, via Terra. Uma das mensagens chegou a ser enviada em 9 grupos diferentes, acumulando 219 compartilhamentos e mais de 25,6 mil visualizações.

+++LEIA MAIS: Veja lista completa dos 37 ministros do Presidente Lula

“A partir deste dia 04/01/2023 iniciou-se um movimento, talvez este venha a ser o maior movimento de todos os tempos e que pode revolucionar o Brasil”, afirmava a mensagem. “OBJETIVO PRINCIPAL: PARAR TODO O BRASIL! Essa ação é para recuperarmos o nosso Brasil das mãos destes Golpistas Comunistas Corruptos! NÓS VAMOS TOMAR BRASÍLIA DAS MÃOS DOS COMUNISTAS!”

Na mensagem, os bolsonaristas ainda descreveram como o ato deveria acontecer. “Jamais iniciem a invasão sem haver uma multidão que tome todos os 3 poderes ao mesmo tempo, ou seja, só iniciem a invasão aos 3 poderes quando houver patriotas o suficiente pra invadir tudo!”, pontuaram. “Ao entrarem comecem procurando os cantos e vão todos se assentando um a um pacificamente dos cantos até preencherem todos os espaços possíveis, porém não agridam ninguém. Essa ação tem que ser uma ação com regras de: Ninguém entra e ninguém Sai!”

Invasão aos três poderes
Cena da invasão publicada nas redes sociais (Foto: Reprodução/ Redes sociais)

+++LEIA MAIS: Conheça Resistência, cachorrinha que subiu a rampa do Planalto com Lula