Conheça as 7 mulheres indicadas à Melhor Direção na história do Oscar [LISTA]

Em 93 edições, 502 homens receberam indicações - enquanto apenas sete mulheres concorreram

Vitória Campos (sob supervisão de Yolanda Reis) Publicado em 24/04/2021, às 11h00

None
Chloé Zhao (Foto: Divulgação / Taylor Jewell / Invision / AP), Kathryn Bigelow (Foto: AP Photo/Chris Pizzello) e Emerald Fennell (Foto: Rich Polk / Getty Images para IMDb)

O Oscar fez história ao indicar duas mulheres à Melhor Direção pela primeira vez em 2021. No entanto, mesmo mais frequentes, nomes de mulheres não são muito reconhecidos na categoria. Em 93 edições, apenas sete disputaram a estatueta - enquanto 502 homens foram indicados.

O motivo não é ter poucas mulheres nas produções, pois elas bateram recorde na direção em 2020, segundo a America’s San Diego State University. A razão é uma desigualdade de gênero muito presente na indústria cinematográfica; felizmente, dá pequenos passos para se tornar cada vez menor. 

+++ LEIA MAIS: Conheça as diretoras que podem e devem ser reconhecidas nas premiações cinematográficas [LISTA]

Confira as sete diretoras que conseguiram o reconhecimento da Academia e foram indicadas à Melhor Direção no Oscar:


Lina Wertmüller - Pasqualino Sete Belezas (1975)

Lina Wertmüller (Foto: Mark Von Holden/Invision/AP)

 

A primeira indicação de uma mulher à Melhor Direção aconteceu 48 anos após o início da premiação. A italiana Lina Wertmüller concorreu em 1977 por Pasqualino Sete Belezas (1975), o qual conta a história de um desertor do exército italiano capturado pelos alemães e enviado a um campo de concentração na Segunda Guerra Mundial. 

+++ LEIA MAIS: Oscar 2021: 5 curiosidades sobre Nomadland, indicado a Melhor Roteiro Adaptado [LISTA]

A diretora perdeu para John G. Avildsen por Rocky (1976), porém, foi reconhecida pela Academia em 2019 e ganhou um Oscar Honorário pela longa carreira. E Agora Falamos de Homens (1965), Amor e Anarquia (1973), Por um Destino Insólito (1974) e A Casa dos Gerânios (2004) são algumas das produções de Lina Wertmüller.


Jane Campion - O Piano (1993)

Jane Campion (Foto: AP Photo/Reed Saxon)

 

A diretora neozelandesa Jane Campion foi indicada em 1994 por O Piano (1993). Com uma bilheteria de mais de US$ 140 milhões, o filme mostra a trajetória de Ada (Holly Hunter), mulher muda mandada à Nova Zelândia para um casamento arranjado. Lá, ensina sua maior paixão para um nativo: o piano. 

+++ LEIA MAIS: Oscar 2021 anuncia eventos especiais com performances de indicados; confira

Campion perdeu o prêmio para Steven Spielberg por A Lista de Schindler (1993). Mesmo não ganhando a estatueta do Oscar, é conhecida como a única diretora mulher a receber a Palma de Ouro do Festival de Cannes pelo mesmo filme.


Sofia Coppola - Encontros e Desencontros (2003)

Sofia Coppola (Foto: AP Photo/Reed Saxon)

 

Sofia Coppola conseguiu a indicação, em 2004, com seu segundo filme, Encontros e Desencontros(2013). Scarlett Johansson e Bill Murray interpretam estranhos que se encontram por acaso em Tóquio, Japão, e começam a enxergar fuga e compreensão um no outro. 

+++ LEIA MAIS: Oscar 2021: Conheça todos os indicados a Melhor Filme

Além de Melhor Direção - levada por Peter Jackson por O Senhor dos Anéis: O Retorno do Rei (2003) - a produção concorreu também como Melhor Filme, Melhor Ator e Melhor Roteiro Original, categoria na qual Coppola conseguiu levar a estatueta para casa.


Kathryn Bigelow - Guerra ao Terror (2008)

Kathryn Bigelow (Foto: AP Photo/Chris Pizzello)

 

Kathryn Bigelow é a primeira e única mulher - até o momento- a ganhar o prêmio de Melhor Direção no Oscar. A vitória aconteceu por Guerra ao Terror (2008) e ocorreu apenas na 82ª edição da premiação, em 2010. James Cameron por Avatar(2009) e Quentin Tarantino por Bastardos Inglórios (2009) eram alguns dos concorrentes. 

+++ LEIA MAIS: Oscar 2021 terá Harrison Ford, Joaquin Phoenix, Zendaya e mais como apresentadores

O filme de três soldados norte-americanos com o intuito de desarmar bombas durante a Guerra do Iraque levou também a estatueta de Melhor Filme, sendo o primeiro longa dirigido por uma mulher a ganhar o prêmio.


Greta Gerwig - Lady Bird: A Hora de Voar (2017)

Greta Gerwig (Foto: Jordan Strauss/Invision/AP)

 

Conhecida anteriormente como atriz e roteirista, Greta Gerwig estreou da melhor maneira na direção, com Lady Bird: A Hora de Voar (2017). Além de lhe render a indicação à Melhor Direção em 2018, concorreu como Melhor Filme, Melhor Atriz, Melhor Atriz Coadjuvante e Melhor Roteiro Original

+++ LEIA MAIS: Indicados ao Oscar 2021 podem comparecer à cerimônia como trabalhadores essenciais

Lady Bird: A Hora de Voar mostra a vida de Christine (Saoirse Ronan) e os dramas de escolher uma faculdade, lidar com o primeiro namorado e os típicos problemas de se tornar adulto. 

Em 2020, Adoráveis Mulheres, também dirigido por Gerwig, concorreu como Melhor Filme,Melhor Atriz,Melhor Atriz Coadjuvante e Melhor Roteiro Adaptado - mas ela não foi indicada novamente na categoria de direção. 

+++ LEIA MAIS: Oscar 2021: 3 motivos para acreditar no potencial de Emerald Fennell, indicada como Melhor Diretora


Emerald Fennell - Promising Young Woman (2020)

Emerald Fennell (Foto: Rich Polk / Getty Images para IMDb)

 

Primeira mulher britânica a disputar Melhor Direção, Emerald Fennell concorre ao Oscar 2021 pelo filme de estreia, Promising Young Woman(2020). Era mais conhecida pelos trabalhos como atriz e roteirista, com The Crown (2016) e Killing Eve: Dupla Obsessão (2018).

Fennell participa da primeira edição do Oscarna qual duas mulheres concorrem em Melhor Direção. Promising Young Woman também concorre a Melhor Filme, Melhor Atriz, Melhor Roteiro Original e Melhor Montagem

+++ LEIA MAIS: Oscar 2021: Com elementos da cultura pop, Promising Young Woman mostra a realidade por trás do machismo estrutural [REVIEW]

O longa conta a história de Cassie (Carey Mulligan), quem após viver muitos traumas, busca justiça e vingança contra homens mal intencionados e, para isso, não define limites.


Chloé Zhao - Nomadland (2020) 

Chloé Zhao (Foto: Divulgação / Taylor Jewell / Invision / AP)

 

Grande aposta para ganhar o prêmio, Chloé Zhao mostra todo o potencial em Nomadland(2020). É a primeira mulher não-branca a disputar a categoria, e, caso vença, será a segunda mulher na história a ganhar em Melhor Direção

+++ LEIA MAIS: Oscar 2021: Na fronteira com documentário, Nomadland faz um retrato multifacetado da vida na estrada [REVIEW]

Nomadland mostra a vida de Fern (Frances McDormand), de 60 anos, e sua decisão de entrar em uma van e partir para a estrada, vivendo uma vida como nômade moderna após sua cidade na zona rural de Nevada, EUA, colapsar economicamente. 

Também concorre como Melhor Filme, Melhor Atriz, Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Fotografia e Melhor Montagem

+++ LEIA MAIS: Oscar 2021: Como as relações familiares preservam as raízes em Minari? [REVIEW]


+++ HAIKAISS | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO | ROLLING STONE BRASIL