Conheça Ingrid Andress, cantora country indicada a Artista Revelação no Grammy 2021 [ENTREVISTA]

Com ritmos dançantes e letras honestas, a cantora foi indicada a três prêmios

Marina Sakai | @marinasakai_ (sob supervisão de Yolanda Reis) Publicado em 24/02/2021, às 15h48

None
Ingrid Andress (Foto: Jess Williams / Atlantic Records)

A categoria Artista Revelação do Grammy trouxe à luz nomes como Dua Lipa e Billie Eilish nas duas últimas edições do prêmio. Em 2021, uma das indicadas é Ingrid Andress, cantora country de Michigan, nos Estados Unidos.

Andress impressionou com seus singles, disco de estreia e com a mistura de pop e country em suas canções. Conheça um pouco da trajetória da cantora, dos campeonatos de A Cappella na faculdade até uma das maiores premiações da música. 

+++LEIA MAIS: Grammy 2021: Conheça D Smoke, vencedor de reality da Netflix e rapper revelação


Início da carreira

Ingrid não foi descoberta, não teve um hit na Billboard e não acumulou discos até chegar a indicação do Grammy. A cantora é formada em composição e performance pela Berklee College of Music, uma das melhores faculdades de música do mundo, e lançou apenas um álbum: Lady Like (2020).

Depois de terminar a graduação e participar de competições de A Cappella, Ingrid se mudou para Nashville, um dos centros de música e composição dos EUA. Começou a escrever letras para artistas como Alicia Keys, Charli XCX e Sam Hunt.

+++LEIA MAIS: Grammy 2021: Entenda o clipe 'Lockdown' de Anderson .Paak

Como explicou em entrevista à Rolling Stone Brasil, a cantora acredita no poder de contar histórias e ser o mais honesta possível nas letras. É um dos motivos de se expressar no country: é um gênero aberto à narração. Muito do pop é divertido, mas as letras não retratam a vida real: “A maior parte de nós não mora em Hollywood Hills, o country fala sobre assuntos de verdade.”

+++LEIA MAIS: Grammy 2021: Quem é Jacob Collier, indicado a Álbum do Ano


O caminho até o Grammy

Em 2018, Andress assinou com a gravadora Warner Nashville e, no ano seguinte, estreou com o single “More Hearts Than Mine”, sucesso nas listas da Billboard Hot Country Songs e Country Airplay. Em março de 2020, lançou Lady Like, primeiro disco, e alcançou o topo da Billboard Emerging Artists.

Andress tem uma modéstia diferente em suas músicas. As letras não são poéticas ou difíceis de entender, os instrumentais não são inovadores. Ela busca um tom de conversa nas canções. Mas, a honestidade, intimidade e facilidade de conexão impressionam e preenchem o lugar dos sons comuns.

+++LEIA MAIS: Grammy 2021: 6 músicas para conhecer Doja Cat, indicada na categoria Artista Revelação

O processo de composição de Lady Like começou no quarto de Andress, e ela se impressiona com a dimensão e a atenção recebida pelas canções.


Influências

A mãe de Andress é muito fã de John Denver, e Ingrid cresceu ouvindo as músicas do cantor country. Hoje, considera-o uma das maiores inspirações e se impressiona como transcendeu estilos musicais. 

+++ SIGA NOSSO SPOTIFY - conheça as melhores seleções musicais e novidades mais quentes

Outra influência da artista foram as Dixie Chicks, hoje conhecidas como The Chicks. “Adorava a atitude delas e como contavam histórias por meio da música,” explicou. Whitney Houston e Stevie Wonder também moldaram Andress. Artistas de soul, gospel e jazz ensinaram como mexer com acordes de maneira inusitada e dar um tom comovente à voz.


O melhor momento da carreira até agora

Aos 29 anos, Ingrid foi indicada a três Grammys:Artista Revelação, Melhor Música Country e Melhor Álbum Country. O nome da artista aparece pela primeira vez em uma premiação dessa importância, e ela não conseguiu acreditar quando soube.

+++LEIA MAIS: Grammy 2021: 6 curiosidades sobre Folklore, disco indicado de Taylor Swift [LISTA]

Na categoria de Artista Revelação, Ingrid disputa o prêmio com Phoebe Bridgers, Noah Cyrus, Megan Thee Stallion, Doja Cat, D Smoke, Chika e Kaytranada. Andress é grata por participar do grupo e tem Thee Stallion, em especial, como grande inspiração. “Ela fez tanto por esse país culturalmente. Só de ter sido indicada com ela, não preciso ganhar. Ter sido associada a ela foi incrível.”

Depois de 2020, um ano em geral bastante negativo, Ingrid teve pelo menos um motivo para agradecer. Toda essa experiência relembrou a cantora de como a vida sempre tem aspectos positivos e negativos, e fica feliz por experienciar tudo isso.


+++ KANT: 'AQUELES QUE NOS DÃO MAIS ATENÇÃO SÃO OS QUE MAIS CRITICAM' | ENTREVISTA | ROLLING STONE BRASIL