“Conhecemos muito da música brasileira na Venezuela”, diz membro do Mcklopedia

Grupo que se apresentou no Rec-Beat revelou ser fã de Lenine, Ivan Lins e Paralamas do Sucesso

Pedro Antunes, do Recife Publicado em 10/02/2013, às 14h21 - Atualizado às 15h02

Mcklopedia
Divulgação / Flora Pimentel

Penúltima atração da primeira noite do festival Rec-Beat, neste sábado, 9, realizado no polo Cais da Alfândega, durante o carnaval do Recife, o grupo venezuelano Mcklopedia trouxe um rap recheado de referências diversas, sem apegos à gêneros: rock, soul e rap são colocados no mesmo caldeirão musical da banda.

Após o show, o grupo se confessou ansioso para circular pela cidade, para absorver mais da musicalidade brasileira. “Ainda não conseguimos ver muita coisa”, disse o baixista do sexteto Enrique Pérez, à Rolling Stone Brasil. “Mas já conseguimos perceber que há muita energia nas ruas, uma alegria enorme. Não há algo assim na Venezuela.”

Prontos para voltar ao seu país de origem ainda neste domingo, 10, os membros da banda pediram por indicações do que assistir em Recife. Foi quando descobriram que Lenine encerraria as atividades do palco montado no Marco Zero, a poucos quarteirões de distância de onde estavam, e vibraram. “Onde? Naquele palco grande?”, perguntou Arturo Solto, guitarrista do grupo. “Conhecemos muita música brasileira na Venezuela”, explicou Pérez. “Conhecemos Ivan Lins, Paralamas do Sucesso, Elis Regina, Maria Rita...”, citou.

É justamente esta variedade de estilos que justifica a pluralidade das canções do Mcklopedia. “Não nos apegamos aos gêneros”, resumiu o baixista. E isso se refletiu no primeiro disco deles, Superlirical, lançado em 2011. “O álbum uma reunião de influências de todos já que fomos nós mesmos que produzimos.” Ele conta que, no segundo trabalho, a ideia é chamar um produtor externo para “nos ajudar a criar um som mais homogêneo. Mas com o nosso estilo”, avisou.