'Copiamos o Kraftwerk assim que pudemos', diz Peter Hook, ex-New Order, sobre o legado de Florian Schneider

O pioneiro da música eletrônica morreu na última quarta, 6, após uma intensa luta contra o câncer

Redação Publicado em 07/05/2020, às 15h14

None
Montagem com Kraftwerk (Foto: Divulgação) e Peter Hook (Instagram / Reprodução)

Peter Hook, ex-baixista e co-fundador das bandas Joy Division e New Order, desabafou sobre a morte de Florian Schneider na última quarta, 6, após uma intensa luta contra o câncer.

+++LEIA MAIS: Assista ao show sombrio do Joy Division em Manchester, um ano antes da morte de Ian Curtis [VÍDEO]

Conversando com o jornalista Andrew Trendell, da NME, Hook disse que ficou muito triste ao saber que Schneider, da icônica banda eletrônica alemã Krafwerk, havia falecido. “Minha memória mais antiga do Kraftwerk é um LP que Ian Curtis [vocalista do Joy Division] me deu. Ele me deu Autobahn e depois Trans Europe Express. Fiquei absolutamente hipnotizado por ambos.”

“O Joy Division estava muito ligado ao Kraftwerk, mas foi só quando chegamos ao New Order (...) que pensamos: ‘vamos imitar o Kraftwerk'. A música deles era enganosamente simples, mas impossível de reproduzir”, ele continuou, acrescentando que a banda de Schneider exerceu uma influência não apenas musical, mas estilica sobre o Joy Division e tudo o que veio depois disso.  

+++ LEIA MAIS: Ícone da música eletrônica mundial, Armin van Buuren valoriza estilo no Brasil: "Definitivamente vivo e pulsante" [ENTREVISTA]

Ian estava tão admirado com o modo como eles se vestiam e agiam, bem como com a música. Era o triângulo perfeito”, afirmou. “Se você ouve muita música agora, pode claramente perceber a influência do Kraftwerk.”

Ao relembrar os velhos tempos, Hook contou à NME que, certa vez, ele assistiu ao show de Schneider e companhia no Free Trade Hall, em Manchester: “Eles não apareceram no palco. Foi incrível sentar naquele lugar lotado, com quatro manequins que faziam um som maravilhoso. Eles tinham um amplificador quadrafônico no Free Trade Hall, e essa foi outra coisa que copiamos no New Order assim que pudemos.”

+++LEIA MAIS: A última entrevista de Ian Curtis, do Joy Division, antes do suicídio: ‘Queremos tocar e nos divertir’; ouça

“Bom, eu não saberia o que dizer para alguém que me inspirou tanto. É a coisa mais triste do mundo que [Schneider] morreu. Na semana passada, Dave Greenfield, dos Stranglers, também morreu. Era outra banda que eu escutava na minha infância, esperando que, um dia, eu fosse como eles. Essas coisas me fazem sentir muito mortal”, concluiu.

 


+++ MINHA PLAYLIST.... FRANCISCO, EL HOMBRE | ROLLING STONE BRASIL