Coquetel Molotov feliz

Camelo, Mallu Magalhães, Hurtmold, Cidadão Instigado e invasão sueca têm aplauso garantido em teatro da UFPE

Por Artur Tavares, do Recife Publicado em 20/09/2008, às 14h22 - Atualizado às 14h34

O Cidadão Instigado tirou toda a platéia das cadeiras, no teatro da UFPE
Caroline Bittencourt/Divulgação

Os trabalhos do festival Coquetel Molotov foram abertos nesta sexta-feira, 29, no Recife, com o primeiro show do trabalho solo de Marcelo Camelo, ex-Los Hermanos. O músico apresentou o álbum Sou com a participação da adolescente Mallu Magalhães, que canta no disco (Hurtmold também participa). A menina, que toca e canta neste sábado, foi a atração da noite.

Completamente ovacionada pela platéia, Mallu cantou "Janta" e "Morena" (esta última dos Los Hermanos) com Camelo, que retribuiu com um cover de "Tchubaruba", hit da mocinha. Nas canções com uma levada de bossa nova, sonoridade predominante em seu disco, Camelo se apresentou somente com banquinho e violão. Nas marchinhas, como "Menina Bordada" e "Copacabana", foi ajudado pelo Hurtmold. A banda foi essencial: estava afinada com o trabalho solo do Hermano e fez bons improvisos.

Na platéia completamente lotada do teatro da Universidade Federal do Pernambuco, órfãos de Los Hermanos e fãs de Camelo acompanharam cada letra e aplaudiram fervorosamente ao fim de cada música. A seqüência tocada com Mallu Magalhães ainda colaborou para que a apresentação se tornasse a sensação da primeira noite de festival. Um coquetel molotov da felicidade.

Virtuosismo

Os suecos do Shout Out Louds e as bandas brasileiras Cidadão Instigado e Guizado (esta última com Curumin na bateria) merecem destaque pelo virtuosismo dos músicos. O quinteto europeu subiu animado ao palco. Foi a primeira banda a fazer com que toda a platéia se levantasse dos assentos do teatro. Antes do Shout Out Louds tocar, todo o público sacou pulseiras fluorescentes dos bolsos e, logo ao primeiro acorde do grupo, houve uma chuva de aplausos.

A audiência respeitou as regras de não beber e fumar dentro do ambiente do festival. Mesmo sendo permitido se levantar, mais da metade da platéia se manteve sentada até o fim da noite.

O Cidadão Instigado chegou ao Recife de última hora, substituindo o Vanguart, que cancelou sua apresentação na última quinta-feira, a um dia do início do festival. O público não pareceu se importar, chegando inclusive a afirmar na antesala da UFPE que havia sido uma boa troca. Ao quarteto experimental também não faltaram palmas fervorosas, mesmo depois de cinco shows. A velocidade da bateria e da guitarra causou furor entre o público.

Problemas no som

O show do Guizado, no segundo palco do evento, foi cheio de problemas. O grupo instrumental ficou sem o som de seu líder e trompetista por boa parte da apresentação. O microfone que deveria captar o som ligava e desligava sem parar. Mesmo assim, o restante dos músicos segurou a apresentação, etérea. O baterista Curumin deu um show à parte, escolhendo minuciosamente cada um dos diversos efeitos eletrônicos que saíram de seu instrumento.

Apenas duas bandas locais se apresentaram: Júlia Says e A Banda de Joseph Tourton. Ambas combinaram projeções com rock; no caso do Júlia Says, conta a favor a sonoridade eletrônica; com Joseph Tourton, a variedade de instrumentos.

O Coquetel Molotov continua neste sábado no Recife. Confira a programação completa:

Sala Cine UFPE - a partir das 17h

Pocilga Deluxe

Zeca Viana & Onomatopéia Bum!

Akin

Club 8

Teatro da UFPE - a partir das 21h

Catarina

Final Fantasy

Mallu Magalhães

Peter Bjorn and John