Corey Haim comprou mais de 550 comprimidos antes de morrer

Procurador-geral da Califórnia disse, em entrevista coletiva de imprensa, que nome do ator está vinculado a uma quadrilha de falsificadores de receitas médicas

Da redação Publicado em 07/04/2010, às 13h10

Semanas antes de morrer, o ator Corey Haim obteve mais de 550 comprimidos vendidos com receitas médicas de diferentes médicos, conforme anunciou o procurador-geral da Califórnia Jerry Brown, nesta terça-feira, 6, durante entrevista coletiva de imprensa. As informações são da agência de notícias Reuters.

O ator de 38 anos foi encontrado morto em seu apartamento, localizado em Oakwood, na Califórnia, no dia 10 de março. À época, médicos legistas de Los Angeles suspeitaram que a morte teria sido consequência de uma overdose de drogas. No entanto, nenhum anúncio oficial será feito até saírem os resultados finais dos exames toxicológicos.

De acordo com Brown, um relatório do Escritório de Policiamento de Narcóticos do Estado constatou que, entre 2 de fevereiro a 5 de março, Haim comprou 195 doses do ansiolítico Valium, 194 comprimidos do relaxante muscular Soma, 149 do forte analgésico Vicodin e 15 do ansiolítico Xanax.

"Em um período de 32 dias, Corey Haim obteve, pelo menos, 553 doses de medicamentos potencialmente perigosos e vendidos com receita médica", disse Brown, que é candidato a governador da Califórnia. "Drogas legais, receitadas por médicos, podem ser tão perigosas quanto drogas obtidas nas ruas e procurar médicos diversos para obter mais receitas pode ser fatal."

Desde a morte de Haim, as autoridades da Califórnia investigam um crime de preenchimento ilegal de receitas médicas, que vincula o nome do ator a uma quadrilha que falsificava receitas médicas para a obtenção de medicamentos. De acordo com Brown, os integrantes da quadrilha usavam identidades roubadas de médicos para conseguir receituários de farmácias autorizadas. Dessa forma, os receituários eram vendidos a pessoas que preenchiam as receitas, então os médicos dificilmente sabiam que suas identidades teriam sido roubadas. Um suspeito de fazer parte do grupo foi preso no dia 17 de março.

Palavra dos médicos

Segundo informações do site da revista People, Jerry Brown informou que Corey Haim teria consultado sete médicos e sete farmácias diferentes para obter os medicamentos.

Os médicos procurados por Haim disseram às autoridades que o ator foi "muito convincente" em seu pedido. Embora o principal médico do ator tenha confirmado aos investigadores que ele era viciado em remédios, Brown disse que ele fez a solicitação para outros especialistas, alegando estar com dores no ombro, resultado de uma contusão que teria sofrido durante as gravações de um filme no Canadá.

Haim também teria dito aos médicos que não estava vendo outros especialistas, que planejava fazer uma cirurgia e que tinha problemas de depressão.