Pulse

Corey Taylor critica políticos que culpam música e videogames por tiroteios em massa

"É um alvo fácil porque quem está no poder não entende", disse o vocalista do Slipknot

Redação Publicado em 10/08/2019, às 18h00

None
Corey Taylor, vocalista do Slipknot (Foto:CTK/AP Images)

"Existe uma cultura de armas muito tóxica aqui [nos Estados Unidos]. É como um culto, e isso me preocupa", disse Corey Taylor, vocalista do Slipknot, em uma entrevista para o Independent.

A fala do músico veio dois dias antes do tiroteio em massa em El Paso, Texas e Dayton, em Ohio, que atingiu 31 vítimas. 

"Há muitas armas na América. Eu poderia andar lá fora agora e encontrar uma arma em poucos minutos."

+++ LEIA MAIS: Slipknot depois de 20 anos: como a vida de Corey Taylor mudou desde o início da banda?

Quando os tiroteios de El Paso e Dayton aconteceram, mais uma vez, políticos se pronunciaram e pontuaram que música, filmes e videogames estimulam tragédias como essas. Donald Trump, atual presidente dos Estados Unidos, tuítou sobre "videogames violentos" e uma "Hollywood liberal".

+++ LEIA MAIS: Slipknot sobreviveria sem Corey Taylor? O vocalista responde

O fato do atirador ter usado um moletom de uma banda de metalcore durante o ataque também trouxe uma análise infundada sobre suposto papel da música incitar situações violentas. 

Na entrevista, Taylor criticou a postura dos políticos que reforçam essa ideia: "Música é um alvo fácil porque quem está no poder não a entende".

"Existe uma completa falta de esforço para tentar entendê-la e uma falta de disposição para assumir qualquer parte da responsabilidade por esses eventos", afirmou.

+++ LEIA MAIS: Slipknot revela que 23 músicas ficaram fora do novo disco

Taylor também fez um pronunciamento no Twitter sobre o caso: "Isso não é sobre a porra de uma camiseta. E o The Acacia Strain não é uma banda que propaga ódio ou vingança. Culpe o ASSASSINO; não a porra do GUARDA-ROUPA." 

+++ LISTA: 13 segredos de 'Ladrão', o terceiro disco do Djonga e um dos melhores de 2019