Coronavírus deixou sequela bizarra em baterista do Death Angel

Will Carroll contraiu a covid-19 em março e chegou a ficar em coma induzido por duas semanas

Redação Publicado em 06/08/2020, às 16h26

None
Will Carroll, baterista do Death Angel (Foto: Reprodução/Facebook)

Em março de 2020, o baterista Will Carroll, do Death Angel, contraiu o novo coronavírus e chegou a ficar em coma induzido por cerca de duas semanas. Atualmente, o músico está curado, mas diz que a covid-19 deixou uma sequela bizarra - e tem a ver com a língua dele. As informações são do Whiplash

+++LEIA MAIS: Bryan Cranston, de Breaking Bad, contraiu coronavírus - e já se curou da doença

Em entrevista ao Rock Talk Happy Hour, Carroll falou sobre a sequela: "A única coisa que ainda não voltou ao normal é o fato de eu não sentir a ponta da minha língua, na região mais à esquerda. Talvez eu tenha mordido a língua durante o coma ou não sei o quê. Os médicos também não sabem. É a única coisa que permanece".

Segundo o baterista, não houve sequelas nos pulmões: "Tive insuficiência cardíaca durante o coma, mas já está 100% agora. Tenho sorte de não ter sofrido nenhum dano permanente".

+++LEIA MAIS: Bolsonaro ainda sente fraqueza e tem ‘um pouco de infecção’ após se recuperar de covid-19

Além disso, o músico falou sobre a dificuldade após sair do coma: “Aprender a andar de novo foi bem desagradável. Fiquei com medo de não conseguir voltar a tocar bateria quando eu não conseguia nem andar pelo corredor", disse. Segundo Carroll, ele voltou a tocar bateria recentemente - primeira vez em mais de dois meses.


+++RAP, FUNK E PAGODE NA ENTREVISTA COM OROCHI: 'SOU ESSA MISTURA LOUCA' 


+++ PLAYLIST COM CLÁSSICOS DO ROCK PARA QUEM AMA TRILHAS SOBRE DUAS RODAS