Coronavírus suspendeu mais de 6 mil shows por mês no país, segundo Ecad

Devido à pandemia, muitos artistas precisaram cancelar apresentações presenciais

Redação Publicado em 06/08/2020, às 15h32

None
Coronavírus (Foto: CC0/TMaxImumge)

Devido à pandemia, muitos artistas precisaram cancelar apresentações presenciais e passaram a investir em formatos online. Desde março, segundo o Ecad (Escritório de Arrecadação e Distribuição de direitos autorais), o coronavírus resultou na suspensão de pelo menos de 6 mil shows por mês no país (via UOL). 

Como o site enfatiza, esses dados refletem apenas os eventos legalizados e registrados. Isto é, daqueles que são recolhidos porcentagens de execução e de direitos autorais.

+++ LEIA  MAIS: Brasil entra em acordo mundial de vacinas contra o coronavírus - mas terá que pagar pelas doses

Como a pandemia afetou toda a indústria de entretenimento, o Ecad planeja um desconto em relação ao pagamento de direitos autorais que deve se estender até 2021. Em abril de 2020, a entidade anunciou a antecipação do recebimento de RS 14 milhões para artistas de baixa renda.

Todos esses planos visam dar suporte para os artistas em meio ao momento de crise e de baixa arrecadação. As unidades do órgão espalhadas pelo país são as responsáveis pelos detalhamentos e orientações para com os artistas.

+++ LEIA MAIS: Governo de São Paulo anuncia data de início dos testes de vacina contra o coronavírus

"O Ecad é comandado por uma gestão coletiva, formada por compositores, intérpretes, músicos, produtores e editores. O órgão defende os direitos (mundialmente) protegidos que garantem a estes profissionais a justa remuneração pelo uso público de suas músicas", declarou a organização (via UOL).


+++RAP, FUNK E PAGODE NA ENTREVISTA COM OROCHI: 'SOU ESSA MISTURA LOUCA' 


+++ PLAYLIST COM CLÁSSICOS DO ROCK PARA QUEM AMA TRILHAS SOBRE DUAS RODAS