CPI da Covid quer provar que governo federal expôs população ao vírus deliberadamente, diz Humberto Costa [ENTREVISTA]

Em entrevista, senador Humberto Costa falou sobre o futuro das investigações da CPI da Covid e comentou as medidas do governo em relação à pandemia

Redação Publicado em 23/06/2021, às 09h30

None
Humberto Costa (Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado)

Senador e ex-ministro da saúde, Humberto Costa (PT-PE), em entrevista Grupo Perfil e à Rolling Stone Brasil, falou sobre o andamento da CPI da Covid e as expectativas para as próximas semanas de investigação. Na conversa, comentou sobre novos depoimentos -  incluindo de Wilson José Witzel (PSC), impeachmado do cargo de governador do Rio de Janeiro em abril  deste ano - e medidas do governo em relação à pandemia e às investigações pendentes, inclusive de Marcelo Queiroga, ministro da saúde.

Costa comentou sobre o aguardado depoimento privado de Witzel, quem depôs à CPI no dia 16 de junho. O ex-governador, retirado do cargo por acusações de crime de responsabilidade na área da saúde, afirmou aos senadores da CPI "perseguição política." Para a próxima fase do depoimento, agora privada, Costa espera investigar "especialmente as organizações sociais atuantes na área da saúde [pelo] governo do estado" (Witzel descreveu as organizações como "grande foco de corrupção"). Também observarão desvios de dinheiro voltado para o combate ao coronavírus.

O petista também comentou sobre suposições de que algumas testemunhas passariam a ser investigados - como Marcelo Queiroga, ministro da saúde. Embora Costa concorde com a necessidade de investigações de irregularidade, não acredita ser a melhor hora para isso - sendo investigado, o ministro não poderia ser obrigado a comparecer à CPI nem fazer o juramento de dizer a verdade se isso o ferir. Preferem aguardar: 

+++ LEIA MAIS: Bolsonaro fala em 'milagre' por ainda estar à frente do governo; entenda

"O centro da nossa investigação é tentar comprovar que o governo federal adotou uma estratégia de enfrentamento da pandemia de Covid-19: obter a imunidade coletiva - ou imunidade de rebanho - pela rápida e ampla transmissibilidade do vírus. Ou seja, não fazer nada, para contaminar o maior número de pessoas, e com isso teríamos essa chamada imunidade coletiva."

Inclusive, Costa afirmou que o agravamento da pandemia em Manaus e a consequente falta de oxigênio foi "um experimento" do governo federal. Decidindo explicitamente negar adoção de medidas não farmacológicas  comprovadas - como isolamento social - e estimulando o uso do "kit-covid" para prevenção, queriam provar a teoria da imunidade de rebanho, "mas o que vimos foi uma tragédia."

+++ LEIA MAIS: 'Vamos prender Bolsonaro', diz vice-presidente da CPI da Covid

De acordo com Costa, as investigações comprovam a negligência por parte do Estado em relação às medidas de prevenção e tratamento do vírus. "O que trabalhamos, agora, é a investigação de quem ganhou com isso. Quem ganhou dinheiro com a demora na vinda da vacina, quem ganhou dinheiro com a venda desses medicamentos sem eficácia para o tratamento da Covid-19 e se há alguma corrupção nisso."

+++ LEIA MAIS: Bolsonaro volta a atacar imprensa e manda repórter calar a boca: 'Vocês são uns canalhas'

A entrevista completa de Humberto Costa ao Grupo Perfil está no nosso canal oficial do YouTube e pode ser conferida abaixo: 


+++ OS 5 DISCOS ESSENCIAIS DE BOB DYLAN | ROLLING STONE BRASIL