Criador de V de Vingança lança livro sobre SP

"As nuvens de São Paulo parecem cartum", definiu David Lloyd à RS

Por Artur Tavares Publicado em 12/12/2007, às 16h26 - Atualizado em 13/12/2007, às 10h32

Para Lloyd, a apressada nuvem é uma representação da cidade

Ver Galeria
(9 imagens)

"Há um tipo de nuvem em São Paulo que não existe em nenhum outro lugar no mundo", defende o quadrinista inglês David Lloyd, que está lançando nesta semana Cidades Ilustradas - São Paulo, na Livraria HQ Mix - hoje, quinta, há sessão de autógrafos. "A nuvem deixa rastros, parece um cartum", continua o co-autor de V de Vingança. "Esses rastros sugerem outra coisa para mim. A nuvem está correndo tão rápido para ir até outro pedaço do céu que deixa suas partes para trás. Ela está apressada, sabe?".

Quando veio há um ano conhecer a cidade para ilustrar e escrever o livro, o artista notou particularmente a velocidade em que os paulistanos vivem e sua desigualdade social. Teve a oportunidade de conhecer áreas nobres da cidade, como a região da Avenida Paulista, e também favelas e comunidades carentes, como a Cidade Tiradentes, na zona leste. Está tudo no álbum, lançado pela editora Casa 21.

Confira desenhos da obra clicando aqui.

Conhecido por sua parceria com o roteirista Alan Moore em V de Vingança, Lloyd encarou o trabalho de retratar São Paulo como um desafio: "Eu sabia que o Brasil era um lugar muito diferente. Pra mim, era de onde vinha o café, a bossa nova e grandes jogadores de futebol. Eu não sabia nada sobre São Paulo antes de vir pela primeira vez, apenas que era uma cidade enorme. E que havia uma discrepância entre ricos e pobres. Não fiz nenhuma pesquisa antes de vir pra cá."

Durante os quinze dias que ficou na cidade em 2006, fotografou todos os lugares que visitou, conversou com pessoas e fez anotações. Só voltando à Inglaterra decidiu fazer pesquisas.

A comparação com as cidades britânicas é inevitável: "Acho que vocês têm muito mais sol aqui. Eu amo São Paulo quando está ensolarado. Quando estive aqui no ano passado, eu sentava no sol com uma bebida nos momentos que podia relaxar. É assim que eu descanso. Devido ao clima, aqui há mais oportunidades de fazer isso do que em qualquer cidade inglesa".

Porém, o clima é só uma das diferenças. Visitando comunidades carentes, Lloyd percebeu a diferença social: "há grandes conjuntos habitacionais, como Cidade Tiradentes, que tive o privilégio de visitar. Há um grande programa educacional lá. Há muita cultura. O que me incomoda é que as pessoas mais pobres não têm assistência. Olhe o potencial. Todos que estão lá podem ser o próximo grande médico, o próximo grande escritor. Tudo que eles precisam é de uma chance para ser alguém. É por isso que as pessoas vêm para cá. Aqui é a maior cidade do país. Eles precisam é dos recursos certos. E aí você vai construir o futuro. É isso que achei fantástico na Cidade Tiradentes".

Foi visitando o centro histórico da cidade que percebeu uma semelhança com o maior pólo financeiro do mundo: "São Paulo me lembra Nova York. Quando você está lá, o sentimento é o mesmo. As pessoas estão sempre em movimento, trabalhando duro pelo progresso. O prédio do Banespa foi construído para ser uma cópia do Empire State Building. Há um desejo de parecer com NY, e não é uma surpresa que se pareça. Todos têm espírito empreendedor. Nova Iorque é uma cidade velha, que não consegue mais mudar. São Paulo pode ser melhor que lá. A cidade pode olhar para seus moradores. Tanto lá como em outras cidades estadunidenses, eles não ligam para os pobres. E neste momento São Paulo também não se preocupa com os seus. Acho que isso pode mudar. Olhe para as pessoas e os recursos que vocês têm."

A esperança de Lloyd é reflexo do que viu nos brasileiros: "Se você vai a outros países, a outras cidades mais para o norte, há mais cinismo. Aqui há mais energias boas, mais otimismo nas pessoas".

O artista já descobriu por que São Paulo é considerada a Terra da Garoa: "Quando estive aqui pela primeira vez, havia pancadas de chuva. De repente ela caía, 'pow, capow', todo mundo saia correndo e ela parava. E isso era extraordinário". Nesta segunda visita à cidade, mais uma vez com chuva, ele estará na Livraria HQ Mix, na Praça Roosevelt, autografando seu livro a partir das 19h.

Cidades Ilustradas - São Paulo

Autor: David Lloyd

Editora: Casa 21

88 páginas, R$ 65

Noite de autógrafos com David Lloyd

13/12 - 19h

Local: Livraria HQ Mix (Praça Roosevelt, 142 - Centro)

Entrada franca