Da infância ao suicídio: 12 fatos marcantes sobre Michael Hutchence, do INXS

O vocalista passou de um menino tímido a um homem de sucesso - para perder-se em si mesmo logo após

Kory Grow / Rolling Stone EUA Publicado em 22/01/2020, às 18h48

None
Michael Hutchence (Foto: Fairfax Media via Getty Images)

Já faz 22 anos que Michael Hutchence, frontman do INXS, morreu. Mesmo que a músicas como “Never Tear Us Apart,” “New Sensation” e “Need You Tonight” mantenham-se como pilares do rock clássico da rádio e em karaokes, a banda teve dificuldades em seguir em frente. 

Apesar de lançar outros dois discos com vocalistas difrentes e promover uma competição televisionada para encontrar outro cantor (Rock Star: INXSfoi ao ar em 2004), a sombra de Hutchence nunca saiu de cima da banda.Isso porque o cantor tinha uma voz inconfundível e uma presença única, para não dizer uma personalidade reservada fora do palco que enchia os fãs de curiosidade. Seu talento é insubstituível.

+++ LEIA MAIS: Noel Gallagher escolhe 8 músicas que não pode viver sem - e a lista tem Beatles, é claro

Agora, Mystify: Michael Hutchence - um novo filme do amigo do cantor falecido, o diretor australiano Richard Lowenstein - tenta contar uma história por meio de vídeos caseiros granulados e fotos deixadas pelo frontman. O filme, que tem estreia digital esta semana, mostra um retrato intenso e pessoal de Hutchence. 

Foram usados diversos vídeos de arquivo de entrevistas antigas do cantor, assim como novos comentários suas ex-parceiras Helena Christensen e Kylie Minogue, seus colegas de banda, Bono do U2, seus irmãos Tina e Rhett Hutchence, a mãe postiça Susie e o produtor Nick Launay, entre outros.

+++ LEIA MAIS: Os 9 passos que transformaram Freddie Mercury em um gênio dos palcos [LISTA]

O filme mostra em detalhes a fagulha de criatividade que funcionou com o INXS e sua tentativa falha de projeto paralelo, Max Q. Também revela a pressão que a fama criou, e explora como um ataque violento mudou a vida de Michael Hutchence. Aqui estão 12 coisas que aprendemos:

1- A família de Michael ficou surpresa porque ele queria ser um frontman mesmo sendo tão tímido

+++ LEIA MAIS: Qual música do George Harrison os Beatles não deram a mínima - mas virou a favorita de John Lennon?

Tina Hutchence, irmã de Michael, lembrou de uma vez que estava fazendo um desfile de roupas infantis e Michael desfilaria. Ele tinha uns nove ou 10 anos, e não estava confortável. Ela precisou empurrar o menino para entrar no palco. “De repente, ele viu as pessoas e seu rosto mudou. Começou a aproveitar. Piscou para mim. Me surpreendeu porqu ele era bem tímido… Quando disse que cantaria em uma banda, me assustei. Era aquele menino que não queria andar na frente de pessoas, imagina cantar!”

2 - Seu sucesso musical era natural 

+++ LEIA MAIS: Pete Townshend acredita que os Beatles nunca tocaram rock and Roll; entenda

No começo do INXS, Hutchence amava gravar. “Era sempre a primeira pessoa a chegar no estúdio,” contou o produtor Chris Thomas. “Ele ajudava em tudo. Era ele quem tinha a ideia de onde tudo deveria ficar. Tinha um instinto pra isso. Eu aprendia com ele. Escrevia a maior parte das músicas, e não escrevia só palavras: eram também melodia.”

3- Ele sentia que precisava se dividir

+++ LEIA MAIS: Antes da fama: Como Freddie Mercury e David Bowie se conheceram?

Quando o disco Kick tornou-se um sucesso de platina sextupla, Hutchence precisou superar a timidez rapidamente para lidar com a atenção. “Da fantasia para a realidade de ‘oh, isso está acontecendo,’ era bem difícil porque eu não estava confortável.” Diz Hutchence. “Então meio que inventei uma persona com a necessidade de passar por isso. Aproveitei, mas também precisei criar algo para eu me manter, também.”

4- Causou ótima impressão em Bono

+++ LEIA MAIS: Freddie Mercury é o maior cantor de todos os tempos, diz a ciência

“Lembro de perguntar para Michael a definição que tinha de rock & roll,” disse o vocalista do U2 sobre seu amigo. “E ele disse: ‘Liberdade.’”

5- O jeito que conquistou Kylie Minogue foi extremamente brega - mas funcionou

A cantora de “Loco-Motion” lembra como conheceu Hutchence em 1989 e perguntou como ele cuidava da voz. Ele disse que tinha “gotinhas mágicas para a garganta” e que poderia compartilhar.

+++ LEIA MAIS: Michael Jackson, ópera, lhama e mais: 5 fatos sobre Freddie Mercury sem o Queen que você não conhecia

Pouco depois, ela precisou viajar para Hong Kong a trabalho. Ele a chamou para jantar, mas a fez esperar. “Apareceu umas duas horas atrasado, me levou para sair e tinha algo ali.” Depois, ela esqueceu sobre a poção mágica e secreta e ele acabou a cortejando, voando para visitá-la em diferentes países na turnê na Ásia. 

6- Quando a mãe de Michael decidiu se separar do pai dele, ela levou Michael, mas deixou o irmão - isso destruiu a família

+++ LEIA MAIS: Mary Austin, ex-namorada de Freddie Mercury, relembra o momento mais triste que viveu com o cantor antes dele morrer

Quando o frontman do INXS tinha uns 14 anos, ele e o irmão mais novo Rhett chegaram em casa depois da escola e viram que a mãe, Patricia, tinha empacotado tudo deles. Nas palavras de Tina: “Michael foi o escolhido.” Patrícia disse a ele para fazer uma mala, e foram para os EUA juntos, deixando Rhett chorando no aeroporto, e ficaram lá por um ano e meio.

Patricia diz no filme que ela perguntou antes para Michael se ele queria ir com ela, e ele disse sim. “Ele manteve em segredo, assim cmo eu. Michael sabia que ia. Martha Troup, empresária pessoal de Michael, disse que foi uma decisão que assombrou o artista. “Desedaçou ele por dentro. Sentia que não merecia o sucesso. Sentia-se culpado.”

+++ LEIA MAIS: Dave Grohl ainda se arrepende de piada de mal gosto feita pelo Nirvana

Rhett foi criado por cerca de sete babás nesse período.

7- Michael perdeu o olfato e o paladar depois de ser nocauteado por um taxista

+++ LEIA MAIS: João Gordo relembra noite louca com Kurt Cobain: “Ressaca épica”

Uma das ex-namoradas de Michael, a modelo Helena Christensen, lembra de um incidente em Copenhague em 1992, quando eles pegaram pizza e foram de bicicleta para casa. Pararam para comer, e um taxista pediu para ele sair de onde estava. Depois, saiu do carro e deu um soco que o derrubou, inconsciente. 

“Tinha sangue saindo da boca e da orelha dele,” relembre Christensen. “Pensei que tinha morrido.” Chegando ao hospital, estava beligerante e insistiu para receber alta. Ficou internado por um mês e, eventualmente, um cirurgião descobriu uma fissura no crânio e viu seus nervos destruídos; perdeu o olfato.

+++ LEIA MAIS: Fã de Mutantes, Kurt Cobain escreveu carta para Arnaldo Baptista em 1993: "cuidado com o sistema"; veja

“Ele não queria me dizer nada. Nem queria que contasse aos meus pais. Tudo ficou bem pesado na cabeça dele.” Os colegas de banda perceberam que ele estava diferente, mais afressivo, ao retornarem para a gravação de Full Moon, Dirty Headsem 1993. 

8- O ataque mudou Hutchence

+++ LEIA MAIS: Kurt Cobain ficou chocado ao descobrir quanto Madonna cobrava por show em entrevista rara [VÍDEO]

Bono lembra como Hutchence confidenciou a ele que sentia-se diferente depois do ataque. “Acho que estava muito, muito traumatizado,” diz o cantor do U2. “Confessou que tudo mudou para ele. O que era uma pequena diferença virou um trauma. Ele meio que perdeu o caminho e esqueceu quem era.”

9- Ele se apaixonou pelo grunge, para desespero de seus colegas de banda

+++ LEIA MAIS: Beatles, U2 e mais: 5 vezes em que gravadoras recusaram músicos que se tornaram icônicos

Enquanto gravavam Full Moon, Dirty Hearts, os interesses de Michael foram além dos interesses típicos do INXS. “Estava bem errático no comportamento, mas também no caminho musical,” disse o guitarrista Kirk Pengilly. “Certamente ficou fissurado no grunge. Vira e mexe ele parava tudo e dizia: ‘Ei, ouçam isso. É o que deveríamos fazer.’ Então brigamos muito por isso; ele queria fazer da banda algo ‘não INXS’.

10 - Noel Gallagher abalou os espíritos de Hutchence

No Brit Awards de 1996, quando a popularidade do INXS tinha minguado, Hutchence deu um troféu ao Oasis por “Wonderwall.” No discurso, o guitarrista Noel Gallagher disse: “Os que se foram não deviam entregar troféus para os que serão.” Hutchence se afastou com elegância, mas ficou magoado.

+++ LEIA MAIS: Por que Bono, vocalista do U2, sempre usou óculos de sol?

“Isso acabou com Michael,” Troup relata. “Foi devastador, aquele momento. Eles eram enormes, mundialmente, e seguir o caminho oposto foi muito difícil para eles e para Michael.”

11- O relacionamento tumultuoso com a apresentadora Paula Yates acabou com Michael

+++ LEIA MAIS: Pearl Jam revela novo disco, Gigaton, e datas de turnê após divulgar fotos enigmáticas

Hutchence se ligou a Yates, a esposa do cantor e ativista Bob Geldof, no meio dos anos 1990. Ela o entrevistou para um programa de TV. Tiveram uma filha juntos, mas o relacionamento se desfez depois que descobriram ópio na casa de Yates e Geldof pediu o divórcio. 

Uma amiga de Yates, conhecida apenas por Erin, mostra algumas páginas de um diário em que escrevia aos 20 anos. Em setembro de 1997, escreveu: “Michael me ligou e disse que a Paula tentou se matar. Perguntei como estava, e ele disse: ‘Estranho na cabeça. Disse que imaginava, e ele ‘Não, você não faz ideia. Não sabe o que estou passando. Não entende o que acontece na minha cabeça.”

+++ LEIA MAIS: Pearl Jam: 7 músicas maravilhosas - mas menosprezadas [LISTA]

Eventualmente, ele perguntou se ela estava preocupada que ele também pudesse se suicidar, ao que ela disse que sim. Ele garantiu que não aconteceria. 

12- Hutchence estava em boa fase nos dias antes de cometer suicídio, mas começou a espiralar quando Yates disse que não podia visitá-lo

INXS estava na Austrália, preparando uma turnê, e Yates disse para Hutchence que iria visitá-lo com a filha deles, Tiger, e os filhos que tinha com Geldof. Mas no dia 22 de novembro de 1997, avisou que adiaria a visita para dezembro por problemas com o ex-esposo. 

+++ LEIA MAIS: Eddie Vedder montou uma lista com os 13 melhores discos de todos os tempo; veja

Hutchence ligou para Geldof e implorou para que ele deixasse Yates viajar. Ligou para os amigos e empresário para desabafar sobre a tristeza que sentia por não poder ver os filhos. “Mas ia além disso,” disse Troup. “Ele estava confuso sobre onde queria estar, ele mesmo, na vida. Eu fui ao escritório e ouvi uma mensagem. Estava bem bravo. Disse: ‘Martha, eu não ligo mais.” Mas a raiva virou desespero na última ligação. O corpo dele foi encontrado em um quarto de hotel naquela tarde. Os médicos disseram que foi suicídio.


+++ MELHORES DISCOS BRASILEIROS DE 2019 (PARTE 1), SEGUNDO A ROLLING STONE BRASIL