Dakota Fanning é criticada por aceitar papel de refugiada muçulmana

Sweetness in the Belly estreia neste sábado, 7, no Toronto International Film Festival

Redação Publicado em 05/09/2019, às 12h46

None

Dakota Fanning foi escalada para interpretar uma refugiada muçulmana no filme Sweetness in the Belly, dirigido por Zeresenay Mehari (Difret). Contudo, a atriz tem sido duramente criticada nas redes sociais por ter aceitado o papel.

Inspirado no romance homônimo de Camilla Gibbs, o enredo acompanha a história de Lilly Abdal, uma órfã na Etiópia que foge para Londres, na Inglaterra, e passa a viver como refugiada.

Contudo, a escolha de uma mulher branca e loira para interpretá-la desagradou grande parte público.

"Dakota Fanning já foi forçada a fugir de um país devastado pela guerra? Ela ora em direção a Meca cinco vezes por dia? Já dirigiu um Uber? Então, por que diabos ela foi escalada como refugiada muçulmana?", publicou a ativista Titania McGrath no Twitter dela, que conta com mais de 330 mil seguidores.

+++ Leia mais: Robert Plant, Iggy Pop e Patti Smith declaram apoio a refugiados em campanha

Diante da polêmica, a própria atriz se manifestou nos stories do Instagram: "Só para esclarecer. No novo filme do qual faço parte, Sweetness in the Belly, eu não interpreto uma mulher etíope. Interpreto uma britânica abandonada pelos pais aos sete anos na África e viro muçulmana. Minha personagem, Lilly, viaja para a Etiópia e é pega no início da guerra civil. Posteriormente, ela é enviada para a Inglaterra, o lugar de onde ela veio, mas que nunca conheceu."

Sweetness in the Belly estreia no próximo sábado, 7, no Toronto International Film Festival.

+++ A playlist da Drik Barbosa - De Emicida a Erykah Badu