Daniel Radcliffe é confundido com morador de rua: “Preciso fazer a barba com mais frequência”

Ator de Harry Potter, Radcliffe não é reconhecido por todos

Redação Publicado em 11/01/2020, às 14h00

None
Daniel Radcliffe (Foto:Willy Sanjuan/Invision/AP)

Na última sexta, 10, nas gravações do The Graham Norton Show, Daniel Radcliffecompartilhou uma situação inusitada que viveu recentemente. O ator de Harry Potter estava em Nova York quando foi confundido com uma pessoa em situação de rua.

+++LEIA MAIS: Novo filme de Harry Potter pode se passar 20 anos no futuro - e terá filha de Voldemort, diz site

Segundo o ator, foi um momento “esquisito e engraçado”. “Estava recentemente em Nova York com a minha namorada e enquanto ela estava em uma loja eu estava fora com o nosso cachorro adotado. Estava muito frio, eu usava um moletom com capuz, lã e um casaco grande por cima", disse Radcliffe .

O astro continuou: “Já que estava muito frio, ajoelhei para esquentar o cachorro e eu vi esse cara olhando e passando por mim. Mas aí ele voltou, me entregou cinco dólares e disse, ‘Pegue um café, companheiro’. Aparentemente preciso fazer a barba com mais frequência!”

+++ LEIA MAIS: Tom Felton e Emma Watson tinham "faísca" de romance no set de Harry Potter, revela Rupert Grint

Há um ano, o ator falou sobre o lado menos glamouroso da fama, no seu caso, o abuso de álcool. Em entrevista ao Off Camera With Sam Jones, o ator revelou que nos últimos anos da adolescência exagerou da bebida para lidar com a fama de Harry Potter.

Durante a entrevista, Radcliffe revelou falou sobre a época: “A maneira mais rápida de esquecer que você estava sendo observado era ficar muito bêbado. Então, quando você fica muito bêbado, percebe: 'Oh, as pessoas estão olhando mais agora porque agora estou ficando muito bêbado, então provavelmente devo beber mais para ignorar. Isso pode afetar seu psicológico".

+++ LEIA MAIS: Qual é o grau de parentesco de Harry Potter e Voldemort? J.K. Rowling explica


+++ CORUJA BC1: 'FAÇO MÚSICA PARA SER ATEMPORAL E MATAR A MINHA PRÓPRIA MORTE'