Darlene Love afirma estar nas nuvens por entrar para o Hall da Fama do Rock

“Devo dizer algo sobre Phil Spector no discurso, devo minha carreira a ele”, disse a cantora em entrevista à Rolling Stone EUA

Por Andy Greene Publicado em 30/12/2010, às 13h40

A cantora Darlene Love estará no Hall da Fama do Rock 'n' Roll
AP

No começo dos anos 60, a voz poderosa de Darlene Love fez dela uma das cantoras preferidas de Phil Spector. Junto a muitos outros clássicos do Wall of Sound (parede de som, em inglês), técnica de gravação desenvolvida pelo renomado produtor, ela canta "He's A Rebel", "Today I Met The Boy I'm Going To Marry", "Wait 'Til My Bobby Gets Home" e seu imortal clássico natalino "Christmas (Baby Please Come Home)": ela cantou este último em todos os especiais natalinos do programa de David Letterman desde 1986.

Conte como foi a sua reação quando ficou sabendo da notícia.

Estava a caminho de Atlantic City para participar de uma festa de Natal particular e eu estava em uma dessas limusines que é mais comprida que a minha casa. Eu e meu marido estávamos quase cochilando quando eu recebi a ligação - fiquei chocada por um minuto. Então, comecei a gritar e pensei: "Eu espero verdadeiramente que o motorista não ache que o meu marido está tentando me matar". Estava rindo e chorando ao mesmo tempo. Ainda estou nas nuvens.

É, já estava na hora.

Bom, é incrível e eu sempre digo que tudo tem seu tempo para acontecer. E este foi um ano incrível para mim. Há muita coisa rolando com meu novo CD que será lançado em breve, há também um DVD para sair, e também estamos tentando elaborar um filme sobre a minha vida. Queríamos um final e agora o temos. Falei com Bruce Springsteen e Steve Van Zandt sobre isso. E Bruce disse: "Parabéns! Conseguimos!"

Você acha que agradecerá a Phil Spector durante seu discurso?

Pensarei sobre isso. Quando falo sobre ele, sempre digo que se não fossem por aquelas canções anos atrás, eu não teria a carreira que tenho hoje. Então, tenho que dizer algo sobre Phil Spector. E não será negativo. Devo a ele minha carreira.

Sou judeu, então único momento real de Natal no ano é quando você canta "Christmas (Baby Please Come Home)" no David Letterman. Durante estes poucos minutos eu realmente sinto o espírito dessa celebração.

Então, vou te falar uma coisa melhor [risos]! Foram os judeus que escreveram! Eu digo isso às pessoas o tempo todo: "Sabe, 'White Christmas' foi composta por um judeu! Vocês não entendem! Eles podem não comemorar o Natal, mas certamente compõem muito a respeito!"

Vi boatos na internet que possivelmente terá um Máquina Mortífera 5 em algum momento. É verdade? [Love interpretou a personagem Trish Murtaugh nos quatro filmes da franquia Máquina Mortífera]

Ouvimos isso também. Eu não sei. Estamos ficando velhos. Eu sempre dou risada disso e digo "É bom que vocês corram se quiserem fazer um quinto filme. Bom correr porque seus netos ficarão mais velhos que vocês". Mas, sabe, em Máquina Mortífera 4 todos nossos filhos tinham seus bebês. Até a esposa de Mel Gibson tinha um. Então, quem vai interpretar tais papeis? Estaremos todos em cadeiras de balanço [risos].

Muitas pessoas em Hollywood dizem que não querem mais trabalhar com Mel Gibson. Você se importaria de trabalhar com ele?

Não, não me importaria. Amo Mel Gibson. Sabe, acho que todos têm seus problemas. Todos passam por certas coisas em determinados momentos de suas vidas. A vida tem suas curvas. E aquele momento foi uma de suas curvas.