Dave Grohl revela crise de insegurança ao se juntar ao Nirvana: ‘Fui o quinto baterista, certo?’

Músico teve medo de ser demitido durante produção do álbum Nevermind

Redação Publicado em 08/07/2020, às 12h47

None
Kurt Cobain, Krist Novoselic, Dave Grohl (Foto: Mark Seliger / Rolling Stone)

Dave Grohl, fundador do Foo Fighters, sentiu insegurança ao se juntar ao Nirvana na década de 1990. A banda já existia há três anos quando Grohl chegou - e quatro bateristas passaram pelo grupo antes.

Em entrevista à Apple Music (via Metalhead Zone), o músico explicou o sentimento. “Fui o quinto baterista, certo? Tiveram um grupo de bateristas antes de mim e alguns estiveram mais na banda”, relembrou. “Quando entrei, não conhecia Krist Novoselic e Kurt Cobain”.

+++ LEIA MAIS: Como foi a passagem do Nirvana pelo Brasil em 1993: noite com João Gordo e caos no palco; assista ao show completo

Grohl foi o sucessor de Aaron Burckhard, Dale Crover, Dave Foster e Chad Channing e ficou definitivamente no posto de baterista. “Mas quando nos conhecemos e começamos a tocar, ficou claro que funcionava muito bem e soava com o que a maioria das pessoas conhece agora como o Nirvana”, contou.

Apesar disso, Grohl duvidou da própria capacidade de permanecer com a banda durante a produção do álbum Nevermind (1991). “Quando foi lançado, as coisas acontecem tão rapidamente e você fica tão nervoso que pode ser demitido ou parar. Eu não queria ser demitido, basicamente”, explicou. “E então eu estava fazendo o meu melhor para me manter. Portanto, tinha essa enorme insegurança que eu tinha: ‘Eu não sou bom o suficiente. Eles vão encontrar outra pessoa’”.


+++ RAEL | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO