DC Comics cancela Robin e mais duas HQs

Em baixa, Menino-Prodígio ainda tem plano de seriado na televisão cancelado pela Warner

Da redação Publicado em 09/11/2008, às 17h24

A DC Comics anunciou nesta semana que irá cancelar as revistas Robin, Asa Noturna (Nightwing) e Aves de Rapina (Birds of Prey) nos Estados Unidos em fevereiro. Todas as revistas fazem parte do que é chamado de "bat-família", títulos que tem interligação com as histórias de Batman.

O cancelamento é na verdade uma estratégia para lançar novos títulos. Até o final deste ano, a editora promove o evento Batman R.I.P., no qual prometem revirar a vida do Homem-Morcego e de todos seus aliados de cabeça para baixo.

Após o fim de R.I.P., as histórias de Batman mostrarão como a polícia de Gotham trabalha sem a presença do herói nas ruas, enquanto seus parceiros (Robin, Asa Noturna e Red Robin) disputam com os vilões Silêncio e Mulher-Gato o manto do morcego.

Embora o próprio roteirista de Batman, Grant Morrison, já tenha sinalizado que após de R.I.P. Bruce Wayne continua sendo o herói, apenas de outra forma, boatos dizem que qualquer um dos candidatos na disputa pelo manto pode de fato se tornar o herói. Há pouco mais de um ano, a Marvel - maior concorrente da DC - matou o Capitão América e o substituiu por seu antigo parceiro mirim, Bucky Barnes.

Boatos já rondam a indústria dos quadrinhos, um afirmando que as revistas da bat-família pós-R.I.P. ficam da seguinte forma: Batman, Detective Comics e Batman e os Renegados continuam. Robin será substituída por Batman and Robin, enquanto Asa Noturna será substituída por Red Robin. Birds of Prey realmente acaba e dá lugar a uma nova HQ, chamada Batman Unseen.

E o Menino-Prodígio está tão em baixa que a Warner anunciou na última sexta, 7, que não vai dar continuidade de fazer uma série de televisão sua, aos moldes de Smallville. The Graysons, que contaria a história de Dick (o primeiro Robin) e sua família circense antes do crime que o transforma no parceiro-mirim de Batman, foi engavetado pelo canal de televisão CW, por "não se encaixar na estratégia atual para a franquia Batman", como afirmou um executivo do canal.