De Seu Jorge a astronauta: dez covers de David Bowie

Redação Publicado em 27/05/2013, às 15h50 - Atualizado às 16h27

Chris Hadfield
Reprodução

Chris Hadfield – “Space Oddity”

No dia 12 de maio, o astronauta canadense Chris Hadfield disponibilizou o primeiro videoclipe da história feito no espaço com um adequado cover do clássico “Space Oddity”, de David Bowie. O comandante recrutou o amigo Emm Gryner, que já fez parte da banda do músico, para acompanhá-lo, e o resultado foi visto por mais de quinze milhões de pessoas no YouTube.


Smashing Pumpkins – “Space Oddity”

Enquanto Hadfield sublinhou a vulnerabilidade de um astronauta condenado no espaço, a versão do Smashing Pumpkins, gravada no topo de um prédio em Austin, no Texas, reforça o peso das guitarras. Como tanto volume, parece que até no espaço os gritos de Billy Corgan poderiam ser ouvidos.


Beck – “Sound and Vision”

Sem hesitar um segundo sequer antes de aceitar fazer o desafiador cover, Beck fez este vídeo com ajuda de alguns amigos – mais de 160, na verdade, incluindo seu pai, David Campbell, que trabalhou como maestro. O vídeo de nove minutos foi gravado em fevereiro, em Los Angeles, em um palco com câmeras e captação de som em 360º. “Foi um experimento e uma oportunidade de fazer algo completamente irracional”, disse Beck à Rolling Stone EUA.


Nirvana – “The Man Who Sold the World”

Enquanto muitos fãs – e executivos da MTV – esperavam que o Nirvana tocasse seus hits no Unplugged, Kurt Cobain e seus companheiros optaram por uma rota diferente, incrementando o repertório com covers de Leadbelly, Meat Puppets, Vaselines e a faixa-título do álbum The Man Who Sold the World, lançado por Bowie em 1970. O resultado? Uma versão com a cara da banda, distorcida e nem tão acústica.


White Stripes – “Moonage Daydream”

Uma gravação rara do início do White Stripes. Jack apresenta Meg como sua irmã e alguém na plateia comenta que ele soa como um “estranho” (“weirdo”). Feita em um show de 1997 em Detroit, esta versão mostra a dupla amavelmente desleixada tentando conquistar o público antes de se tornar um grande sucesso.


TV on the Radio e Karen O – “Heroes”

Feita para uma coletânea com fins filantrópicos, a banda do Brooklyn fez cover da faixa da “era Berlim” como um pedido do próprio Bowie. A versão dançante foi uma forma de retribuição ao fato de Bowie ter participado da gravação de “Province”, lançada pelo grupo em 2006, no disco Return to Cookie Mountain.


Seu Jorge – “Life on Mars”

Na celebrada trilha sonora do filme de Wes Anderson A Vida Marinha com Steve Zissou, o destaque foi Seu Jorge reinterpretando, e até mesmo traduzindo as letras de David Bowie para o português. A versão agradou até mesmo o próprio Bowie, que no encarte do álbum escreveu: “Se Seu Jorge não gravasse minhas canções em formato acústico, nunca teria escutado este novo nível de beleza”.


Warpaint – “Ashes to Ashes”

Feita para We Were So Turned On: A Tribute to David Bowie, o cover do Warpaint se mantém fiel ao original enquanto incorpora características do grupo e instrumentações dream-pop. A NPR definiu o cover como um “tanto futurista como retrô o suficiente para fazer justiça a Bowie”.


My Chemical Romance e the Used – “Under Pressure”

Não é fácil fazer um cover de Bowie, então você pode imaginar a pressão sentida por My Chemical Romance e the Used para repensar nesta obra prima de Bowie e Queen. Os cantores Gerard Way e Bert McCracken fizeram um trabalho admirável combinando as harmonias e o single chegou a ficar bem posicionado nas paradas de sucesso norte-americanas.


The Horrors – “Suffragette City”

Gravado nos estúdio Metropolis em Londres para um programa britânico, a versão do Horrors para a faixa do clássico Ziggy Stardust foi mais desafiador do que outros covers de Bowie: Eles fizeram em apenas um take, gravando diretamente no vinil.