Lollapalooza 2013: deadmau5 faz jus ao posto de headliner do festival

Produtor atraiu uma multidão, fez show de luzes e não decepcionou quem esteve disposto a dançar

Lucas Reginato Publicado em 29/03/2013, às 23h05 - Atualizado em 02/04/2013, às 19h30

Deadmau5 reuniu um grande público no encerramento das atividades no palco Butantã.
Divulgação / Lollapalooza

Não tem guitarra. Não tem bateria. Ninguém fala “obrigado” ou pede palminha. Ver um DJ em um grande palco de um festival como o Lollapalooza não é coisa que se vê todo dia. Mas nesta sexta, 29, primeiro dia da edição de 2013 do evento, deadmau5 foi um dos headliners e fez jus à posição em que o colocaram. A quantidade de pessoas que acompanharam o show do ratinho não se compara à que acompanhou o The Killers – mesmo assim, é surpreendente ver a popularidade do artista diante de uma plateia que não é a mesma daquela que costuma frequentar eventos de música eletrônica.

Lollapalooza 2013: leia entrevistas com alguns dos principais artistas internacionais do festival.

Muito desse apelo tem origem no visual. A cabeça de Mickey Mouse é muito mais do que isto. Ela concentra não só a atenção de uma multidão como é o núcleo de tudo o que acontece no palco – e o show do Deadmau5 é grandioso. O bombardeio de luzes e belas geometrias formadas nos telões e na mesa do DJ chamam a atenção mesmo dos desavisados.

Enfim, muita coisa difere de um show "comum" de Lollapalooza. Claro que durante hits como “Ghost N Stuff” e “Raise Your Weapon” os fãs mais ardorosos cantam refrãos repetidos e pulam mais do que nunca. Mas, de modo geral, é diferente a pista de um show e uma pista de dança. Pessoas fecham os olhos e dançam sem pudor, muitas vezes dando as costas para o palco.

deadmau5 também sabe lidar com a diferença. No meio do set, convocou o som do Rage Against the Machine para tocar “Killing in the Name” e milhares de pessoas enlouqueceram ao som do refrão “and now you do what they told ya”. É um grande trunfo da música eletrônica poder ter como matéria prima hits já consagrados em públicos distintos.

“Melhor show da noite”, alguém na plateia disse durante o set que durou cerca de 1h30. Ninguém ligou muito para a fina garoa paulistana – quando o show começou, às 20h, o céu estava bastante aberto. Os graves atordoaram o público, e quem esteve disposto a dançar foi recompensado com material mais do que suficiente para não ficar parado.

Foi surpreendente a quantidade de pessoas que acompanhou as pancadas de deadmau5. E aparentemente ele não decepcionou ninguém.