Deftones começa a gravar o oitavo disco de estúdio

Vocalista Chino Moreno diz que ainda não se juntou à banda para trabalhar no novo álbum

Rolling Stone EUA Publicado em 05/03/2014, às 16h28 - Atualizado às 18h54

Deftones
Robb D. Cohen/AP

Chino Moreno, vocalista do Deftones, revelou que a banda começou a trabalhar naquele que será o oitavo disco de estúdio do grupo. Em entrevista durante o Soundwave Festival, em Melbourne, ele afirmou que embora não tenha começado a participar do álbum, “os outros caras já começaram, na semana passada”. “Estou ansioso para ouvir o que eles fizeram até agora.”

Chino Moreno, do Deftones, fala sobre o projeto paralelo Crosses.

Questionando sobre o direcionamento do disco, Moreno admitiu que o processo de composição da banda é mais orgânico do que deliberado. “Nós não planejamos o tipo de disco que vamos fazer”, disse ele. “Nós reagimos uns aos outros – um cara está tocando algo e outro reage a isso, e logo outro reage aos dois. Quando percebemos, já temos uma música. Acho que essa é a melhor e mais orgânica forma de compor. Funcionou para a gente por anos.”

O novo disco será o primeiro desde que o baixista Chi Cheng morreu, em 2013, após sofrer um acidente de carro em 2008. Em entrevista à Rolling Stone EUA, em fevereiro, Moreno falou sobre o impacto da morte do companheiro de banda. “Ele sempre será lembrado nas coisas do dia a dia. Isso não é algo que vai embora, obviamente”, disse o vocalista. “Quando ele morreu, foi muito difícil. Mas há cinco anos ele estava naquele estágio que não conseguia falar. Ele estava lá, mas não existia mais. Estava aqui, mas não estava. Foi muito difícil para nós e para ele.”

“Com a morte dele, sinto que ele está mais próximo de nós do que esteve durante estes cinco anos nos quais ele ficava preso neste meio termo. Dá um pouco de alivio porque ele não está mais sofrendo. Não passa um dia que eu não deixo de pensar nele.”

Chi Cheng, baixista do Deftones, morre aos 42 anos.

Em fevereiro deste ano, Moreno lançou o projeto paralelo ††† (Crosses), que traz experimentos de new wave e música eletrônica. “Eu vim desta cena [da era new wave]”, disse ele. “Simplesmente acabei entrando em uma banda de metal quando tinha 15 anos. Mas sempre nutri uma paixão profunda pelo princípio da música eletrônica e dos samples”.

Assista à entrevista de Chino Moreno para o site do oficial do festival: