Demissão da Marvel 'pareceu o fim de tudo' para James Gunn

Após fazer piadas assuntos controversos, James Gunn foi demitido da Marvel e pensou que 'nunca mais conseguiria trabalhar'

Marina Sakai (sob supervisão de Yolanda Reis) Publicado em 15/07/2021, às 19h33

None
James Gunn (Foto: Christopher Polk/Getty Images)

James Gunn, diretor e roteirista responsável pelos filmes Guardiões da Galáxia, revelou como descobriu que seria demitido da Marvel Studios em entrevista ao The New York Times. Segundo ele, em 2018, apoiadores do ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump recuperaram publicações do Twitter do cineasta nas quais fazia piadas sobre o Holocausto, estupro, pedofilia, entre outros tópicos.

Os comentários ofensivos tinham mais de 10 anos, mas isso não justificou as atitudes para o conselho da Marvel e geraram polêmicas em torno do diretor. De acordo com informações do Omelete, o diretor ligou para Kevin Feige, presidente da empresa, e perguntou se havia algum problema. "Ele respondeu: 'Eu não sei.' Nesse momento, pensei: 'Você não sabe?' Fiquei surpreso." Mais tarde, Feige ligou para avisar Gunn da decisão dos "poderosos."

+++LEIA MAIS: 'Cada vez mais entediantes', diz James Gunn sobre filmes de super-heróis

Quando descobriu que seria demitido, Gunn estava na metade do roteiro do terceiro filme dos Guardiões da Galáxia e ficou perplexo com a notícia. “Foi inacreditável. Por um dia inteiro, pareceu o fim de tudo. Precisaria vender a minha casa, nunca mais conseguiria trabalhar. Me senti assim," afirmou.

Gunn se desculpou publicamente após o ocorrido, e atores de Guardiões da Galáxia como Chris Pratt e Zoe Saldana se posicionaram a seu favor. Em março de 2019, o cineasta foi recontratado pela Marvel para dirigir o terceiro filme da saga focada em Peter Quill (Pratt), o qual tem previsão de lançamento para 2023.

+++LEIA MAIS: Primeiras impressões de Esquadrão Suicida de James Gunn são positivas; veja análise da crítica

Pensando em projetos futuros, Gunn também foi contratado pela DC para realizar sua própria versão de O Esquadrão Suicida, diferente da adaptação de David Ayer, de 2016. O diretor retomará alguns dos mesmos integrantes do elenco, como Margot Robbie (Arlequina) e Viola Davis (Amanda Waller), mas terá um enredo diferente.

O longa terá inspiração nas histórias em quadrinhos de John Ostrander e Kim Yale, da década de 1980. O Esquadrão Suicida tem previsão de lançamento para 5 de agosto no Brasil.

 
 
 
 
 
View this post on Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

A post shared by James Gunn (@jamesgunn)

 

+++LEIA MAIS: Qual música James Gunn se recusa a incluir em Guardiões da Galáxia?


+++ OS 5 DISCOS ESSENCIAIS DE BOB DYLAN | ROLLING STONE BRASIL