Morte de cavalo motivou atentado a ex-vocalista do Cidade Negra

Vizinho de Ras Bernardo foi detido e confessou, “informalmente”, ter atirado no cantor

Redação Publicado em 03/02/2012, às 12h55

Ras Bernardo
Ras Produção/Facebook Oficial

O tiro que atingiu o cantor Ras Bernardo, ex-vocalista do grupo Cidade Negra, foi motivado pela morte de um cavalo, informou o portal Terra. Sérgio Menezes, vizinho do músico, foi detido na quinta-feira, 2, e confessou "informalmente" o disparo, de acordo com o delegado Marcos Henrique, do 58ª DP, em Posse, Nova Iguaçu (Rio de Janeiro).

Ras Bernardo foi internado na noite de quarta, 1, com quatro perfurações no abdômen. Os ferimentos foram causados por um único disparo de uma arma calibre 12 – encontrada posteriormente pela polícia na casa de Sérgio Menezes. Segundo o delegado, Menezes contou que um cavalo que pertencia a ele morreu na cerca elétrica que fica entre sua propriedade e a de Bernardo. Desde o ocorrido, há oito meses, ele pedia R$ 8 mil ao cantor.

O suspeito foi indiciado por porte irregular de arma de fogo e tentativa de homicídio qualificada por emboscada. Ras Bernardo continua no Hospital Geral de Nova Iguaçu, e, embora não consiga falar, reconheceu, por meio de gestos, Menezes como autor do disparo.

Ras Bernardo cantou no Cidade Negra até 1994, quando deu lugar a Toni Garrido. Em oito anos com a banda, ele participou de dois discos, com destaque para Lute Para Viver (1991), um álbum de reggae que continha letras politizadas e a participação de um dos pioneiros do gênero, o jamaicano Jimmy Cliff, na canção "Mensagem".