Dia da Resistência Indígena: Conheça 5 nomes do rap indígena [LISTA]

Na música, diversos artistas encontram espaço para transmitir a luta das comunidades indígenas

Camilla Millan Publicado em 19/04/2021, às 20h30

None
Kunumi MC (Foto: Reprodução/Instagram)

Nesta segunda,19, comemora-se o Dia da Resistência Indígena no Brasil. As lutas indígenas são várias: por terra, condições dignas de moradia e trabalho, pelo fim dos estereótipos, contra a violência e mais - na música, todas as causas encontram um importante meio de expansão e resistência.

Vozes indígenas por todo o país cantam sobre as lutas dos povos e a busca pelos direitos. Diversos artistas se apoiam no rap para falar sobre a difícil realidade das comunidades indígenas brasileiras - e com a arte conseguem quebrar antigos (e ainda disseminados) estereótipos sobre os povos tradicionais. 

+++LEIA MAIS: Desmatamento pode cortar Xingu ao meio, aponta relatório

A música é um importante espaço no qual muitos indígenas conseguem combater o preconceito, apagamento histórico e cultural. Para marcar o Dia da Resistência Indígena, a Rolling Stone Brasil listou 5 nomes do rap indígena que transmitem, na arte, a luta das comunidades.

Kunumi MC

O guarani Kunumi MC canta rap para falar sobre a história do seu povo e sobre a demarcação de terras indígenas. Em 2017, o rapper lançou o EP My Blood is Red e em 2018 o disco Todo Dia É Dia de Índio. No ano seguinte, estreou, em parceria com Criolo, o single “Demarcação Já, Terra, Ar, Mar”, e tem diversos grandes lançamentos. 

+++LEIA MAIS: Disney vai alterar representação pejorativa de povos indígenas em atração dos parques


Brô Mc's

Formado por Bruno Veron, Clemersom Batista, Kelvin Peixoto e Charlie Peixoto, o Brô MCs é considerado o primeiro grupo de rap indígena no Brasil. Os integrantes da etnia guarani-kaiowá cantam sobre diversos temas, entre eles os povos tradicionais, a luta de terras e o cotidiano das aldeias. 


Kaê Guajajara

As músicas de Kaê Guajajara provocam e denunciam. Com letras sobre preconceito, ancestralidade e resistência, a rapper tem diversas músicas incríveis com melodias envolventes. A artista quer passar importantes mensagens por meio das canções, como em “Mãos Vermelhas”: “Ainda resistimos, em tantos tons e vivências.”

+++LEIA MAIS: Indígena de 15 anos acusa Bolsonaro em conferência da ONU: ‘Dívida histórica por parte do governo’


Souto MC

Com ascendência do povo Kariri, Souto MC tem uma década no rap - e canta para se reconectar com a ancestralidade. Crescida no centro urbano, a artista lançou o disco “Ritual” para mesclar o mergulho nas culturas indígenas com uma discussão sobre hip hop.


MC Wera

Inspirado em Racionais e RZO, MC Wera canta em busca de justiça para os Guarani Myba no Pico do Jaraguá, na cidade de SP. Com muito trap, o músico fala sobre a resistência dos povos indígenas e o cotidiano da aldeia.


+++ HAIKAISS | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO | ROLLING STONE BRASIL