Diários de Philip Seymour Hoffman revelam luta contra “demônios” interiores e drogas

Ator foi encontrado morto no dia 2 de fevereiro, no apartamento onde morava, em Nova York

Redação Publicado em 12/02/2014, às 13h14 - Atualizado às 16h46

Philip Seymour Hoffman
AP/Andrew Medichini

A polícia encontrou dois diários do ator Philip Seymour Hoffman, nos ele escrevia sobre “demônios” interiores que o assombravam através do uso de drogas e álcool. De acordo com a agência EFE, que reproduziu as informações da emissora de televisão NBC, os textos do ator alternam bastante entre lucidez e momentos ininteligíveis.

A trajetória de Philip Seymour Hoffman em dez filmes.

Hoffman também escrevia sobre a luta para tentar se distanciar da dependência química, algo que ele conseguiu por 23 anos, inclusive sobre as reuniões nos grupos de ajuda Narcóticos Anônimos, mas havia passado por uma recaída.

“É um fluxo de pensamento e é difícil de seguir”, disse uma fonte à NBC. “Em uma linha se refere a ‘Frank, o que sempre deve dinheiro’ e, na mesma página, escreve sobre uma menina de 15 anos do Texas.”

Atores e diretores lamentam a morte de Philip Seymour Hoffman no Twitter.

O ator, vencedor do Oscar de Melhor Ator por Capote e com carreira repleta de memoráveis papeis, foi encontrado morto no dia 2 de fevereiro, em seu apartamento, pelo roteirista David Katz. Segundo informações do Wall Street Journal, ele tinha uma seringa no braço e estava cercado por 50 papelotes de heroína.

A súbita morte deu início a uma intensa investigação por parte da polícia norte-americana. Até o momento, quatro pessoas já foram presas por envolvimento com o tráfico.