Dilma Rousseff tem mandato cassado pelo Senado e Michel Temer assume presidência

Petista foi condenada por crime de responsabilidade, as “pedaladas fiscais”, por 61 votos contra 20

Redação Publicado em 31/08/2016, às 14h23 - Atualizado às 16h50

Parceria Desejada
O vice-presidente Michel Temer, representante de peso do PMDB, ao lado da presidente Dilma Rousseff na convenção do partido, realizada em junho, em Brasília.
Fabio Rodrigues Pozzbom/ Agencia Brasil

O impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) foi aprovado pelo Senado em plenário nesta quarta, 31. Com o mandato da petista cassado, o vice-presidente Michel Temer (PMDB) assume o cargo mais alto do Executivo brasileiro e deve ser empossado ainda nesta quarta.

Segundo o site do jornal Folha de S.Paulo, a decisão foi anunciada por volta de 13h36 da tarde, quase nove meses depois de o processo ser iniciado na Câmara dos Deputados, sendo três deles com a petista afastada do cargo para o qual foi eleita, em 2014, com mais 54 milhões de votos.

Dilma foi condenada por crime de responsabilidade, as “pedaladas fiscais” e créditos orçamentários sem autorização, por 61 votos contra 20 (sete a mais do que o necessário). O Senado, contudo, decidiu manter o direito da petista de exercer funções públicas.

Temer é a 41ª pessoa a ser presidente do Brasil, sendo também o mais velho ocupar o cargo, com 75 anos. Dilma, por sua vez, é a segunda presidente a enfrentar um processo de impeachment desde o fim da ditadura militar, sucedendo Fernando Collor depois de 24 anos.