Dionne Warwick pede falência nos Estados Unidos

Cantora culpa um antigo empresário por sua dívida de US$ 1 milhão

Kathy Iandoli Publicado em 26/03/2013, às 10h24 - Atualizado às 11h51

Dionne Warwick
AP

A longa e complicada relação de Dionne Warwick com o IRS (uma espécie de Receita Federal norte-americana) está perto de um fim. No dia 21 de março, a cantora de soul entrou com um pedido de concordata por causa de ônus fiscais datados da década de 90.

Leia textos das edições anteriores da Rolling Stone Brasil – na íntegra e gratuitamente!

“A Senhora Warwick teve um empresário que administrou mal os seus negócios”, disse o advogado dela, Daniel Stolz, à Rolling Stone EUA. “Antes mesmo que ela soubesse, ela devia um zilhão de dólares em impostos. Ela, na verdade, pagou mais do que os valores nominais dos impostos, mas com todas as penalidades e multas que eles adicionaram ao valor, o número continuou crescendo – mesmo que ela tenha pagado o que devia.”

Os problemas com impostos de Warwick começaram há 15 anos e ressurgiram algumas vezes durante os anos, Stolz explicou, mesmo depois que o empresário em questão tenha sido demitido, algum tempo antes. Ele argumenta que a cantora de 72 anos declarou seus impostos anualmente e foi incapaz de conseguir um acordo com o IRS, apesar das várias tentativas ao longo dos anos – e o arquivo da cantora ficou perdido pelo IRS por vários anos.

Em 2009, outros jornais e sites, incluindo o Huffington Post divulgaram que, em 2009, Warwick devia US$ 2,2 milhões, mas o IRS negou o valor e o corrigiu para US$ 1 milhão. E ela apareceu em uma lista de 500 pessoas que mais deviam impostos no estado da Califórnia, ao lago do ator Steven Seagal.

Mesmo que a cantora tenha continuado a pagar, aquele dinheiro serviu apenas para sanar as penalidades e multas, não a quantidade principal. Stolz argumenta que Warwick pagou cerca de US$ 1,3 mi, mais do que a sua penhora.

“Estes impostos são de um período em que, sob o pedido de falência, se tornariam descartáveis”, disse o advogado dela. “Nós entendemos que não temos outro recurso que não seja a falência, para que esse peso seja tirado das costas dela.”

Warwick recentemente acertou os detalhes para uma turnê em Nova York e Nova Jersey, incluindo uma performance beneficente para auxiliar na restauração do Count Basie Theater, em Jersey. A cantora não se apresenta com tanta frequência para ser capaz de pagar seus débitos em constante crescimento; segundo a sua petição de falência, ela ganha mensalmente um valor de US$ 20.950, mas US$ 20.940 são utilizados para pagar as despesas, deixando-a com apenas US$ 10 de lucro mensal (um valor que é comum para uma celebridade depois de avaliados os custos de vida e hipotecas). Stolz diz que o IRS não dá descanso para Warwick porque eles a veem como uma celebridade, não como alguém “não capaz de pagar”.

Dionne pediu a concordada no estado de Nova Jersey, depois de completar o aconselhamento de crédito que o tribunal de falências requer. Como consequência disso, a linha de crédito dela será afetada, mas seus ativos serão protegidos, incluindo a pensão.

“Só porque alguém é conhecido, uma celebridade, isso não quer dizer que eles entendam de assuntos financeiros”, disse o advogado. “Eles dependem muito dos outros e, frequentemente, acordam um dia pensando: ‘Nossa, como eu entrei nessa bagunça e como eu saio dela?’”

Stolz está confiante que os débitos da cantora serão exonerados e esta questão, resolvida. “Ela foi uma vítima inocente de uma terrível administração.”